Presidente da Câmara reafirma que cumprirá Constituição e fará equiparação salarial

15/02/2005 - 21h08

Luciana Vasconcelos e Iolando Lourenço
Repórteres da Agência Brasil

Brasília - O presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti (PP-PE), disse que vai honrar os compromissos de campanha, inclusive a equiparação salarial dos Poderes, garantindo o aumento de salário dos parlamentares, dos atuais R$ 12.840,00 para R$ 21.500,00. A decisão sobre o aumento, ressalvou, será feita com base no diálogo e por meio do voto. "Quem decide são meus companheiros e o bom senso", afirmou. Para isso será necessária a aprovação de projetos que já tramitam na Casa, propondo elevar os atuais vencimentos dos ministros de Estado e dos procuradores da República para R$ 21.500,00.

Severino Cavalcanti explicou que a equiparação salarial entre os três Poderes está prevista na Constituição. "Vou cumprir a Constituição, não importa se agrada ou desagrada. Equivalência salarial está na Constituição. Não fugirei aos compromissos assumidos com os deputados. Imediatamente, vou tratar desse assunto", afirmou o presidente da Câmara. Ele acrescentou que também vai conversar sobre a questão com a Mesa Diretora do Senado, uma vez que a proposta deve ser aprovada pelas duas Casas.

Para cumprir a Constituição e equiparar os salários dos três Poderes, também será necessária a aprovação de projeto de resolução elevando os vencimentos dos parlamentares, ministros de estado e do próprio presidente da República.

Cavalcanti reafirmou que pretende ajudar na governabilidade do País, sem revanchismos àqueles que foram contra a sua candidatura. "Eu sou bem brasileiro, nordestino e não vou ignorar que tem um Presidente da República que trabalhou contra mim. O governo fez tudo para me derrotar, mas não teve força suficiente. Então, eu tenho que estar ao lado dos deputados com o presidente. Ele vai precisar da Câmara como nós vamos precisar dele".