Pequenos agricultores têm duas propostas para negociação da dívida com o governo

06/07/2007 - 22h04

Tatiana Matos
Da Agência Brasil
Brasília - A coordenaçãodo Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) pretende apresentar duas propostas na próxima reunião de negociação das dívidas com o governo, marcada para o dia 16. De acordo com Lecian Conrad, da direção do MPA no Rio Grande do Sul, as dívidas sãode contratos de custeio deste ano e de contratos de investimentos doPrograma Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).Um das propostas prevê a liquidação da dívida com 90% de desconto no pagamento e a outra, um prazo mínimo de 30 anos para pagar, sem juros. Na reunião anterior com o grupo de trabalho formado por representantes dos ministérios do Desenvolvimento Agrário e da Fazenda, e também dos movimentos sociais, no dia 29 de junho, a proposta previa o pagamento da dívida em pelo menos 25 anos. Lecian Conrad informou que nessa reunião o governo não apresentou proposta,mas uma "sinalização, com resolução aprovada pelo Conselho Monetário Nacional, no dia 14 de junho, de prorrogação do prazo de vencimento dos contratos com o Pronaf até o dia 31 de agosto". Para os contratos de custeio, acrescentou, os pequenos agricultores querem primeironegociar com o governo para depois pagar. "Mas os bancos estãocobrando e não achamos isso certo. Nósrepudiamos qualquer forma terrorista que os bancos usem para cobrar esses contratos”, ressaltou. Ele lembrou ainda que em negociação há alguns anos, "os grandes produtores ganharam prazo e nós também estamos solicitando".O MPA está organizando mobilizações regionais no país porque, segundo Lecian Conrad, "nós avaliamos que na reunião do dia 16 não se chegará a uma solução definitiva para a negociação".