Grand Prix Vôlei Brasil 2003: times se aquecem para a Superliga

15/09/2003 - 18h06

Brasília, 15/9/2003 (Agência Brasil - ABr) - Santa Catarina será o palco da disputa do Grand Prix Vôlei Brasil masculino 2003. A partir de amanhã (16), seis equipes começam a lutar pelo titulo da competição. Em São Ludgero, Unisul (SC), Bento/Union Pack (RS) e Grêmio Náutico União (RS) disputam a chave A. Enquanto isso, Intelbras/São José (SC), Ulbra (RS) e Universidade de Caxias do Sul - UCS (RS) se enfrentam pelo grupo B, em São José. Além de buscarem mais um título, os times começam a se preparar para a Superliga 03/04. Dos participantes, somente os gaúchos do Grêmio Náutico União não disputarão a principal competição do voleibol brasileiro.

Na primeira rodada, pelo grupo B, o Intelbras/São José enfrentará a UCS, a partir das 20h, no ginásio São José, em São José. A Ulbra folga. No mesmo horário, no ginásio AFAI, em São Ludgero, a Unisul jogará contra o Grêmio Náutico União, pela chave A. O Bento/Union Pack descansa nesta rodada.

Campeã da última edição do Grand Prix, a Ulbra chega para a competição com um ritmo forte de jogo, já que o time está disputando o Campeonato Paulista em parceria com o São Paulo F. C. "Vamos defender o título e sabemos da responsabilidade que temos. A organização do Grand Prix pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) é importante porque os clubes não ficam restritos somente à Superliga. Estamos disputando o Paulista e, por isso, ao mesmo tempo em que estamos com ritmo de jogo, temos que poupar alguns jogadores para não haver uma sobrecarga", disse o treinador Marcelo Fronckowiak.

Para Marcelo, o Unisul desponta como favorita para a conquista do título. "A Unisul chega com um favoritismo maior. Estará jogando em casa, diante de sua torcida. Além disso, está um time forte para esta temporada, haja vista a contratação do argentino Milinkovic", apontou Marcelo.

Favoritismo à parte, o treinador do time de Florianópolis, o argentino Carlos Weber, aposta na força de seu elenco para subir no lugar mais alto do pódio do Grand Prix. Em 2002, a Unisul chegou à final, mas foi derrotada pela Ulbra. "Temos um ótimo plantel. Este grupo que formamos para esta temporada é mais forte e experiente do que o do ano passado. Mantivemos a base com o Dirceu, o André Heller, o Zago e o líbero Jeff, e contratamos alguns reforços como o Marcelinho (levantador), o Schwanke (meio-de-rede), o Badá (ponta) e o Milinkovic, que veio da Itália", falou Weber.

Mesmo assim, Weber é cauteloso e sabe que ainda falta entrosamento para o time. "Será a primeira vez que teremos o time completo. Vamos ter a base da equipe que jogará na Superliga. Jogar em casa é um ponto a favor. Apesar disso, sabemos que não estamos 100%, já que alguns jogadores estão se integrando aos poucos. Mesmo assim, espero que façamos um bom jogo na estréia", explica o treinador.

Outro time que joga em casa é o Intelbras/São José. O técnico da equipe de São José, Djalma Cardoso, sabe que seu grupo terá dificuldades já na fase classificatória. "Em nossa chave, vamos enfrentar times que estão com um ritmo de jogo muito forte, como a Ulbra, que está disputando o Campeonato Paulista, e a UCS, que foi campeã da Liga Nacional", ressaltou Djalma.

Para a estréia contra o time de Caxias do Sul, o treinador aponta a eficiência em dois fundamentos como uma das armas de seu time para buscar a vitória. "A UCS é, para mim, a equipe de melhor conjunto entre os seis participantes. Está treinando há mais tempo e venceu a Liga Nacional. O nosso time precisará estar perfeito no saque e no bloqueio para conter o bom volume de jogo dos gaúchos", analisou Djalma.

Apesar dos elogios de Djalma, a equipe da UCS não chega com grandes pretensões. "Vamos utilizar o Grand Prix como preparação para o campeonato estadual. Confesso que não estamos chegando com a expectativa do título. Depois da conquista da Liga Nacional, demos uma folga para o grupo e o time não teve muito tempo para treinar. Mesmo assim, espero que façamos um bom jogo na estréia contra a Intelbras/São José. O time catarinense está fazendo bons jogos pelo campeonato estadual. Com certeza, teremos grandes dificuldades para vencer", disse Roese.

O treinador do time de Caxias do Sul não terá sua força máxima para esta competição. "O Marcelo Patel (meio-de-rede) está com uma contratura nas costas e é dúvida. Também não sei se poderei contar com o Talmo (levantador), com uma tendinite no punho esquerdo. A tendência é que o Patel desfalque a equipe e o Talmo possa jogar algumas partidas", contou Paulo.

Do lado do time de Bento Gonçalves, o técnico Jorge Schmidt aproveitará o Grand Prix para observar as equipes que seu grupo terá pela frente na próxima Superliga. "Será o primeiro campeonato no qual teremos a oportunidade de jogar com a nossa equipe base. Até então, por causa de contusões, não tínhamos atuado com a nossa formação máxima. Será um bom teste para o time. Além disso, teremos a chance de estudar as outras equipes já para a disputa da Superliga", contou Jorginho.

A novidade do campeonato é a presença do Grêmio Náutico União, que participou da última Liga Nacional e terminou na sexta colocação. "Estamos muito honrados em receber o convite da CBV para disputar esta competição. É muito importante poder participar deste torneio, pois estamos colocando o nosso nome na vitrine ao lado de grandes equipes", disse o treinador Doro Caporal.

Consciente da limitação de seu time, Doro espera que o grupo aproveite ao máximo o Grand Prix. "Na estréia conta a Unisul, uma vitória será muito difícil. Só se pintar uma grande zebra. Mas se eles vacilarem, estamos aí para mordê-los. Já contra o Bento, que, teoricamente, é um time mais fraco do que a Unisul, vamos lutar para vencer. Nosso objetivo neste Grand Prix é dar ritmo aos atletas para a disputa do Campeonato Metropolitano, em outubro", analisou Doro.

Entenda a competição - Na fase classificatória, as seis equipes estão divididas em dois grupos, com três times cada. Os dois primeiros colocados de cada chave estarão classificados para as semifinais e os vencedores disputarão a final no próximo sábado (20). A fase final será realizada na cidade catarinense de São Ludgero.

Os grupos

Chave A – Unisul (SC), Bento/Union Pack (RS) e Grêmio Náutico União (RS)

Chave B – Intelbras/São José (SC), Universidade de Caxias do Sul (RS) e Ulbra (RS)

A tabela

Primeira rodada (terça-feira - 16/9)

Intelbras/São José x UCS, às 20h, no ginásio São José, em São José (SC).

Unisul x Grêmio Náutico União, às 20h, no ginásio AFAI, em São Ludgero (SC).

Segunda rodada (quarta-feira - 17/9)

UCS X Ulbra, às 20h, no ginásio São José, em São José (SC).

Grêmio Náutico União x Bento/Union Pack, às 20h, no ginásio AFAI, em São Ludgero (SC).

Terceira rodada (quinta-feira - 18/9)

Intelbras/São José x Ulbra, às 20h, no ginásio São José, em São José (SC).

Unisul x Bento/Union Pack, às 20h, no ginásio AFAI, em São Ludgero (SC).

Quarta rodada – Semifinal (sexta-feira - 19/9)

Jogo 7 - Primeiro colocado do grupo A x segundo colocado do grupo B, às 16h, no ginásio AFAI, em São Ludgero (SC).

Jogo 8 – Primeiro colocado do grupo B x segundo colocado do grupo A, às 18h, no ginásio AFAI, em São Ludgero (SC).

Quinta rodada – Final (Sábado -20/9)

Disputa do terceiro lugar - perdedor do jogo 7 x perdedor do jogo 8, às 10h, no ginásio AFAI, em São Ludgero (SC).

Final – vencedor do jogo 7 x vencedor do jogo 8, às 14h, no ginásio AFAI, em São Ludgero (SC).