Sandy e Júnior participam de campanha contra a Aids voltada para adolescentes

13/01/2003 - 15h37

Brasília, 13/1/2003 (Agência Brasil - ABr) - Os cantores e irmãos Sandy e Júnior estão a partir de hoje participando gratuitamente de campanha contra a Aids, que será veiculada durante as férias escolares de janeiro e fevereiro, na televisão, para conscientizar especialmente adolescentes para os perigos da infecção pelo vírus HIV.

A iniciativa tem apoio técnico e logístico da Coordenação Nacional de Doenças Sexualmente Transmissíveis, do Ministério da Saúde, e foi organizada pela ONG "Ação e Cidadania". Quem articulou a campanha foi o filho do sociólogo Betinho, o fundador da ONG, Daniel de Souza, que é consultor da Coordenação, no ministério.

Desde agosto do ano passado Daniel vinha negociando com as emissoras de TV do país, abertas e fechadas, a divulgação das gravações com Sandy e Júnior, que serão veiculadas em um momento preocupante, em que ocorre o aumento dos casos de Aids entre jovens de 13 a 19 anos, e que está registrando maior incidência entre as meninas.

Foi gravada uma versão de Sandy voltada para as adolescentes, e outra de Júnior, para o público masculino. Em julho, um clip dos dois falando aos jovens de ambos os sexos foi divulgado pela TV durante todo o mês.

A iniciativa da ONG "Ação e Cidadania" vem reforçar o trabalho do Ministério da Saúde na prevenção das DST/Aids, No final do mês passado o então ministro da Saúde, Barjas Negri, assinou portaria determinando que os estados repassem 10% do que receberem para aplicação em saúde para as Organizações Governamentais que trabalham com campanhas dirigidas a essa finalidade.

Vai dobrar com isso o número de prefeituras que receberão recursos diretamente da União com transferência automática Fundo a Fundo, nos 27 estados e 412 municípios, quando os programas antes previam 155 municípios, além das secretarias estaduais..

Os municípios escolhidos para receber os repasses Fundo a Fundo da União foram selecionados seguindo critérios epidemiológicos, especialmente, números de casos de Aids e velocidade de crescimento da epidemia.