Conta de luz pode aumentar, afirma presidente das Distribuidoras de Energia Elétrica

30/03/2004 - 21h50

Brasília, 30/3/2004 (Agência Brasil - ABr) - O presidente da Associação Brasileira das Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee), Luiz Carlos Guimarães, disse hoje que o Programa "Luz para Todos" poderá gerar aumento das tarifas em alguns estados. Guimarães participou da audiência pública na Comissão de Infra-estrutura do Senado, que discutiu o programa do governo que pretende universalizar o acesso aos serviços de energia.

Segundo o presidente, o aumento pode variar de 10% a 20%, devido a elevação dos custos de operação e a manutenção das linhas com o programa. Ele disse ainda que a projeção é resultado de simulações feitas pela associação, com base em números encaminhados pelas distribuidoras.

Guimarães explicou que o aumento deve atingir os estados que ainda têm muitas áreas para universalizar, como Tocantins, Pará, Ceará e Bahia. "Na hora que você vai fazer uma rede enorme, você multiplica por muitos ativos das empresas. Esses ativos têm de ser remunerados, pois são investimentos que foram feitos pelas empresas. Embora, venha alguma parte do ministério. Ela não é integral", destaca.

A ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff, que também participou da audiência pública, não concordou com os números apresentados pela associação. "Não vamos autorizar repasse de fundo perdido para tarifa. É como se o consumidor pagasse duas vezes". Ela explicou que a universalização será feita a custo baixo. "Nós estamos falando de atendimento massivo, levando em consideração cada característica local".

Durante a audiência, a ministra afirmou que o programa é uma forma de melhorar as condições de vida das famílias mais pobres do país. "Nós apostamos que a energia elétrica é um fator de aumento de renda da população". O programa "Luz Para Todos" foi lançado no ano passado e deve beneficiar dois milhões de pessoas até 2006. O governo vai investir mais de R$ 7 bilhões.