Seminário conta história da <i>Voz do Brasil</i>, programa de rádio mais antigo do país

28/03/2006 - 15h42

Irene Lôbo
Repórter da Agência Brasil

Brasília - Na abertura do seminário Voz do Brasil: tradição e modernização - uma discussão sobre as formas de transmissão, foi apresentado um programa especial produzido pela Rádio Câmara contando a história da Voz do Brasil. O programa foi ao ar pela primeira vez em 22 de julho de 1935, durante o governo de Getúlio Vargas, com o nome de Programa Nacional. De 1934 a 1962, foi levado ao ar com o nome de Hora do Brasil.

Em 1938, já com o nome de A Hora do Brasil, o programa passou a ter veiculação obrigatória, somente com a divulgação dos atos do Poder Executivo, sempre das 7 às 8 horas da noite, horário de Brasília. Em 1962, a partir da entrada em vigor do Código Brasileiro de Telecomunicações, o Poder Legislativo passou a ocupar a segunda meia hora do noticiário. Foi também nesse ano que o programa passou a se chamar Voz do Brasil.

Atualmente, os primeiros 25 minutos da Voz do Brasil são produzidos pela Radiobrás e gerados ao vivo para todo o Brasil. Os primeiros dez minutos da segunda meia hora são produzidos pela Rádio Senado e logo depois entra a produção da Rádio Câmara. Há dez anosl, a justiça brasileira passou a ter espaço no programa e, às segundas, quartas e sextas-feiras, a Voz do Brasil veicula o boletim de um minuto do Tribunal de Contas da União (TCU).

Em 2003, a Radiobrás realizou uma reforma editorial na Voz do Brasil, que passou a ter foco nos temas de interesse do cidadão. Além de mudanças nos textos e no conteúdo editorial, a música de abertura, O Guarani, de Carlos Gomes, ganhou novas versões em ritmos brasileiros.

Mais de 60 projetos relativos ao programa Voz do Brasil estão no Congresso. Um deles, o da deputada Perpétua de Almeida (PCdoB–AC) defende a continuação da obrigatoriedade da transmissão, mas com flexibilização do horário para qualquer período entre 19 horas e meia-noite.