Mulheres de militares dizem esperar que dinheiro da corrupção seja usado para reajustes

15/06/2005 - 17h03

Juliana Cézar Nunes
Repórter da Agência Brasil

Brasília - Cerca de 20 integrantes da União Nacional das Esposas de Militares das Forças Armadas (Unemfa) acompanham, neste momento, a reunião que deve definir o presidente e o relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que vai investigar denúncias de corrupção nos Correios. Do lado de fora do plenário, as mulheres de militares aproveitam para apresentar reivindicações aos parlamentares.

"A gente espera que, com o desenrolar da CPI, venha à tona toda essa sujeira que está invadindo o país e que sobrem recursos para o reajuste dos militares", afirmou a a presidente da Unemfa, Ivone Luzardo.

Há quase 50 dias, as mulheres de militares estão acampadas na Esplanada dos Ministérios. Além do reajuste, elas querem que o Congresso Nacional aprove lei que restitui aos militares o direito de se aposentar recebendo o salário do posto hierárquico imediatamente posterior.