Amaral diz que decisões sobre Alcântara dependem das investigações

25/08/2003 - 21h27

Rio - O ministro da Ciência e Tecnologia, Roberto Amaral, informou hoje que a comissão de investigação que apura as causas do acidente na base de Alcântara, no Maranhão, deve apresentar o relatório final em aproximadamente 28 dias. "Tudo o que diz respeito à ação do governo vai depender desse relatório", afirmou o ministro.

Amaral acrescentou que, enquanto a comissão de investigação não concluir os seus trabalhos, tudo o que se falar sobre as possíveis causas do acidente será apenas especulação. Ele disse que, por desejo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o programa de lançamento de foguetes vai continuar. "O país precisa, é importante, não é uma elucubração. E é uma forma de prestar homenagem àqueles que morreram no acidente."

Amaral prevê um período de quatro anos para que as operações voltem ao estado de antes do acidente. "A grande perda foi humana, mas o conhecimento acumulado não se perdeu. Esse tempo é a nossa margem."

O ministro foi homenageado pela Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) com o título de cidadão do Estado do Rio de Janeiro, em cerimônia na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

À tarde, o ministro da Defesa, José Viegas Filho, informou que os inquéritos sobre o acidente com o veículo lançador de satélite (VLS - 1) na base de Alcântara, estariam concluídos dentro de 40 dias.