Presidente lamenta morte do ex-ministro Jamil Haddad

11/12/2009 - 15h05

Yara Aquino
Repórter da Agência Brasil
Brasília - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lamentou hoje (11) a morte doex-ministro da Saúde Jamil Haddad, presidente de honra do PSB. Emnota, Lula destaca a atuação de Haddad durante a ditadura militar,quando teve os direitos políticos cassados por dez anos, e afirmaque a palavra certa para definir Haddad é “coerência”.“[Jamil Haddad] sempre colocou a defesa daliberdade, da democracia, dos direitos dos trabalhadores e dosinteresses do nosso país em primeiro plano”, diz Lula. Opresidente destaca ainda que, quando exerceu o cargo de ministro daSaúde, no governo Itamar Franco (1992-1995), Jamil Haddad assinou odecreto dos genéricos, “que até hoje salva vidas devido àampliação do acesso aos medicamentos, especialmente pelos maisnecessitados”. Na nota, o presidente manifesta aos amigos,parentes e correligionários do ex-ministro o sentimento de dor e depesar por seu falecimento e diz que Haddad foi “um amigo queridoque deixará saudade”. Jamil Haddad tinha 83 anos e faleceude infarto. Formado em ortopedia, ingressou na política em 1962,quando foi eleito deputado estadual pelo Rio de Janeiro. Eleitosenador, participou em 1982 da Assembleia Constituinte. Ao longo datrajetória política exerceu cargos no Legislativo e no Executivo efoi um dos fundadores do PSB.Em 2003, no primeiro mandato dopresidente Lula, o ex-ministro assumiu a direção do InstitutoNacional de Câncer (Inca), durante cinco meses.