Governo lança campanha de prevenção à dengue e ministro pede apoio da população

16/10/2007 - 21h24

Marco Antônio Soalheiro e Mariana Jungmann
Repórteres da Agência Brasil
Brasília - Em pronunciamento hoje (16) em rede nacional de rádio e televisão, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, manifestou preocupação diante da possível proliferação da dengue com a chegada do período das chuvas.Segundo ele, mais de 450 mil pessoas foram infectadas pela doença até setembro deste ano, das quais 121 morreram. De acordo com o Ministério da saúde, o número de casos representa um aumento de mais de 50% em relação ao mesmo período de 2006. Em 2002, quando o país viveu uma epidemia da doença, o número de casos chegou a 794 mil. No ano passado, foram 345 mil.A campanha nacional de prevenção à dengue foi lançada hoje, em Belo Horizonte. O objetivo é estimular a população a se mobilizar contra a doença.No pronunciamento feito esta noite, Temporão pediu aos cidadãos que mantenham-se atentos aos procedimentos preventivos.Esvaziar garrafas, não estocar pneus em áreas descobertas e não deixar água acumulada em lajes, canos e vasos de plantas são alguns deles. A água parada é o ambiente onde mosquito transmissor da doença, Aedys aegipty, depoista seus ovos.“Esses cuidados devem ser adotados todos os dias, em casa ou no trabalho. As informações devem ser passadas adiante para que nossos vizinhos, familiares e a comunidade se tornem soldados nesta guerra. O governo tem feito a sua parte, mas só como o apoio de cada cidadão será possível eliminar a dengue dos lares brasileiros”, disse o ministro.A campanha começa a ser veiculada este mês em rádio e televisão nas regiões Sudeste e Centro-oeste. No Sul e Norte, a propaganda começa em 4 de novembro e se estende até 16 de dezembro. Na região Nordeste, a campanha também começa em novembro, mas termina em 28 de março de 2008.Os sintomas da dengue se parecem com os da gripe (febre, dor de cabeça, dores no corpo), mas são acrescidos de dores nos olhos e nas juntas, diarréia e vômito. Caso observe os sintomas, a pessoa deve procurar o serviço de saúde.