Funcionários da Varig apresentam três pedidos ao presidente Lula

11/04/2006 - 18h56

Mylena Fiori
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Acompanhados de um grupo de cerca de dez parlamentares, os funcionários da Varig entregaram ao Palácio do Planalto documento dirigido ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O texto é assinado pela organização Trabalhadores do Grupo Varig (TGV), que reúne quatro associações e quatro sindicatos.

A TGV faz três pedidos a Lula. O primeiro é o adiamento por cinco meses do pagamento das taxas aeroportuárias da empresa para a Infraero. O segundo pedido é o prazo de dois meses para o pagamento de combustíveis para a estatal BR Distribuidora.

Por último, a TGV pede autorização da Secretaria de Previdência Complementar para emprestar dinheiro do fundo de pensão dos funcionários da Varig para a própria empresa. Querem utilizar até US$ 150 milhões para uso na recuperação da companhia. Desse total, US$ 30 milhões seriam usados para a indenização dos funcionários demitidos e e pelo menos US$ 70 seriam utilizados para colocar de dez a 15 aeronaves em operação.

"Não assistiremos a Varig morrer", disse Márcio Marsiolac, coordenador da TGV. O vice-líder do governo na Câmara, deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), era um dos parlamentares presentes. Segundo ele, a ajuda do governo não seria inútil já que a empresa agora é administrada por uma gestão eleita pelos próprios credores.

"É um absurdo faltar o apoio de um dos credores da empresa, que é o próprio governo", disse Beto. O deputado afirma que a União é o poder concedente da aviação e que a responsabilidade financeira pela falência seria, em última instância, da própria União.