Subteto dos estados é inconcebível, diz Maurício Correa

17/07/2003 - 22h26

Brasília, 17/7/2003 (Agência Brasil - ABr) - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Maurício Correa, disse hoje que está surpreso com o subteto da magistratura estadual, pois um desembargador ganhará mais do que um juiz-substituto da Justiça Federal. "É inconcebível e inexplicável", afirmou Correa. Ele manifestou confiança de que o combinado com o presidente da Câmara, João Paulo Cunha, será mantido. "Assim agem os homens de palavra", acrescentou. Maurício Correa se reuniu com presidentes dos tribunais de Justiça estaduais e representantes dos servidores públicos em greve, no início da noite, para discutir o parecer do relator da reforma da Previdência, deputado José Pimentel (PT-CE).

Em entrevista após a reunião, Maurício Correa lembrou que o Supremo se posicionou terminantemente contra a greve dos servidores. Essa atitude, no entanto, não tem o apoio da Executiva Nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Segundo Agnaldo Fernandes, um dos representantes da CUT que estiveram com Correa, os servidores pretendem intensificar o movimento contra a reforma da Previdência. Na semana que vem, a Executiva estará, mais uma vez, em Brasília para discutir os pontos da reforma. Fernandes afirmou que já planejam, inclusive, para agosto, a Marcha dos 100 mil contra o PEC-40, o projeto de reforma previdenciária.

Amanhã (18), às 17h30, o presidente da CUT, Luiz Marinho, vai discutir a reforma com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Palácio do Planalto. (Rafael Gasparotto)