Médico explica que muitas doenças são confundidas com labirintite

31/03/2002 - 9h59

Brasília, 31(Agência Brasil - ABr) - Qualquer doença pode causar a labirintite, inclusive o estresse e problemas emocionais. A informação foi dado pelo Otorrinolaringologista Roberto Falermo da Diretoria de Saúde do Trabalhador, da Secretaria de Saúde do Distrito Federal e do Centro Médico de Brasília em entrevista à Radiobras. "O estresse pode contribuir, ser a causa ou piorar o processo", disse o médico.

O termo labirintite é usado para designar alterações do equilíbrio e da audição. Geralmente a doença se manifesta com tonturas, vertigens, náuseas, vômitos e zumbidos. Para Falermo, o nome vulgar de labirintite é mal empregado. "Na verdade, labirintite significaria infecção do labirinto. Isso não existe. Labirinto é um órgão que se situa no ouvido interno e que é responsável pelo nosso equilíbrio", afirmou o especialista.

De acordo com Falermo, as causas da labirintite são diversas, por isso as pessoas precisam saber que os sintomas de desequilíbrio são um aviso de que alguma coisa não está funcionando bem. "O paciente pode estar com hipotiroidismo, hipertiroidismo, anemia, pressão alta etc. Em 99% dos casos não são alterações no labirinto, mas fora dele", afirmou.

O médico citou como exemplo uma grávida que pode ter tontura, náuseas e vômito e não estar com labirintite. A anemia também pode causar tontura e vertigem. Outras causas comuns de tontura são a obstrução do ouvido por cera, a rinite alérgica, a faringite e a sinusite. Segundo Roberto Falermo, o ouvido consome muita energia (açúcar e oxigênio) e por isso qualquer falta desses elementos podem ser percebidos como tontura.

Segundo Falermo, o clínico geral está apto a identificar uma provável causa da doença. O médico ressaltou que é importante não tomar qualquer remédio ou chá para tratar os sintomas, pois eles podem ser um sinal de que alguma coisa não vai bem e "em medicina tudo que se trata antes de acontecer é mais fácil de se obter resultados bons".

As crianças também podem ter problemas no labirinto, mas dificilmente elas reclamam de tontura. Geralmente, têm dificuldade para andar de bicicleta, pular amarelinha, pular elástico e qualquer brincadeira que precise de um controle postural mais elaborado. Neste caso, os responsáveis devem consultar um médico otorrinolaringologista, especialista em doenças do labirinto.

Entre os vários fatores que podem desencadear os sintomas da labirintite estão: nas alterações bruscas da pressão atmosférica, como no mergulho, nos aviões, nas subidas das serras ou montanhas, nas alterações do metabolismo orgânico, como na hipoglicemia e uremia, na arteriosclerose, por falta de irrigação sangüínea e em doenças pré-existentes como diabetes, hipertensão e reumatismos.