Compartilhar:

Oscar 2016 é marcado por discurso contra o racismo no cinema

Criado em 29/02/16 12h57 e atualizado em 29/02/16 13h32
Por Ana Elisa Santana Fonte:Portal EBC

A 88ª edição do Oscar, premiação considerada a mais importante do cinema, foi realizada na noite deste domingo (28/2) e teve boa parte da cerimônia conduzida com referências à campanha #OscarsSoWhite, que instigou o debate sobre a falta de negros entre os indicados após o diretor Spike Lee e o ator Will Smith anunciarem que não compareceriam ao evento deste ano, como forma de protesto.

O ator Chris Rock ocupou pela segunda vez o posto de apresentador da premiação, e logo na abertura fez um monólogo em que criticava a situação: "O que quero dizer é que não se trata de boicotar as coisas. O que a gente quer é oportunidade. Queremos que atores negros tenham as mesmas oportunidades. E só. Não só de vez em quando. Leo [DiCaprio] consegue um grande papel todo ano. Todos vocês conseguem grandes papéis o tempo todo. E os negros?", disse. Ao mesmo tempo em que criticaram as escolhas da Academia, as declarações ácidas do comediante deixaram muitos da plateia constrangidos.

"Todos vocês conseguem grandes papéis o tempo todo. E os negros?"

Chris Rock, apresentador do Oscar 2016

A presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, Cheryl Boone Isaacs, utilizou um momento da premiação para se retratar sobre o assunto. Em um rápido discurso, ela afirmou que a instituição precisa ser um reflexo da mudança na sociedade. "Nosso público é global e rico em diversidade, e todas as faces da nossa indústria deviam ser também. (...) A inclusão nos fará mais fortes", afirmou, convocando todos os presentes - que por serem indicados ou já terem concorrido em outros anos se tornam membros da Academia - a se manifestar neste sentido. "Não é suficiente apenas ouvir e concordar; nós devemos agir", alfinetou.

Cheryl Boone Isaacs, presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas
Cheryl Boone Isaacs, presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Foto: Aaron Poole/EPA/Agência Lusa

Anteriormente, Cheryl Boone Isaacs já havia se mostrado frustrada com as indicações deste ano: todos os 20 indicados a prêmios de atuação eram brancos. Em uma carta pública, ela afirmou que "esta é uma conversa difícil, mas importante, e é hora de grandes mudanças", anunciando que a instituição tomaria medidas drásticas para alterar a composição de seus membros.

Premiação

O filme "Mad Max" foi o que mais levou prêmios na noite, conquistando a estatueta em quase todas as categorias técnicas. "O Regresso" garantiu o Oscar de melhor fotografia, melhor direção para o mexicano Alejandro González Iñárritu, e melhor ator para Leonardo DiCaprio, que alcançou o feito com muita torcida em todo o mundo após cinco indicações anteriores.

Leonardo Di Caprio recebe o prêmio de melhor ator no Oscar 2016
Leonardo DiCaprio recebe o prêmio de melhor ator no Oscar 2016. Foto: Agência Lusa

"Spotlight", drama baseado na história real de investigação de um grupo jornalistas de Boston sobre casos de abuso a crianças por padres católicos, levou os prêmios de melhor filme e melhor roteiro original. A estatueta de melhor atriz foi para Brie Larson, de "O Quarto de Jack", e a premiação de melhor ator e atriz coadjuvantes ficou, respectivamente, com Mark Rylance, por "Ponte dos Espiões", e a sueca Alicia Vikander, de "A Garota Dinamarquesa".

O longa "O Menino e o Mundo" representou o Brasil no Oscar 2016, mas acabou perdendo o prêmio de melhor animação para "Divertida Mente", da Pixar. Na categoria de melhor animação em curta-meragem, o chileno Gabriel Osorio Vargas levou a estatueta para casa por "Bear Story". Ainda entre os não-americanos, venceram também "O Filho de Saul", da Hungria, coroado como melhor filme estrangeiro, e o documentário "Amy", sobre a cantora Amy Winehouse, produzido no Reino Unido.

A trilha sonora de "Os 8 Odiados", de Quentin Tarantino, foi eleita a melhor do ano, premiando o maestro Ennio Morricone, que se comoveu a agradecer pela estatueta e se tornar a pessoa mais idosa a receber um Oscar. O cantor Sam Smith surpreendeu ao vencer na categoria de melhor canção original com "Writing's on the Wall", composta para o filme "007 contra Spectre". A favorita era a cantora Lady Gaga, que concorria com a música "Til it happens to you", do documentário "Hunting Ground", e emocionou toda plateia ao fazer uma intensa apresentação ao piano, com a presença de pessoas que sofreram abuso em campi de universidades dos Estados Unidos.

Veja a lista completa dos premiados no Oscar 2016 [2]

Tags:  Oscar [4], Oscar 2016 [5], cinema [6], racismo [7]
Creative Commons - CC BY 3.0

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Fazer uma Denúncia [8] Fazer uma Reclamação [8] Fazer uma Elogio [8] Fazer uma Sugestão [8] Fazer uma Solicitação [8] Fazer uma Simplifique [8]

Deixe seu comentário