one pixel track analytics scorecard

Digite sua busca e aperte enter


Refugiados sírios chegam a mais de 2 milhões

Imagem:

Compartilhar:

Conselho de Segurança da ONU espera que Síria remova armas químicas até junho

Criado em 10/01/14 10h04 e atualizado em 10/01/14 10h38
Por Agência Brasil Edição:Talita Cavalcante

Brasília – Apesar do atual atraso na eliminação das armas químicas sírias, o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) espera que não haja adiamento no prazo final de 30 de junho para a total remoção desses materiais, disse a chefe da missão conjunta da Organização para a Proibição das Armas Químicas (Opaq) e da ONU, Sigrid Kaag.

A remoção dos materiais mais críticos, para posterior destruição em águas internacionais, começou na terça-feira (7), uma semana após o prazo definido inicialmente por meio de acordo entre Rússia e Estados Unidos. Pelo acordo, a Síria renunciou aos materiais necessários para construção de armas químicas e se juntou à Convenção sobre a Proibição do Desenvolvimento, Produção, Armazenagem e Utilização de Armas Químicas e sobre sua Destruição.

Leia mais:

Primeiro carregamento de material químico para armas foi retirado da Síria

Conferência de paz sobre a Síria deve discutir futuro sem Assad

Sigrid disse que há desafios que poderiam impedir a missão. “Também temos de lembrar que a Síria é um país em guerra, a situação de segurança pode mudar de um dia para o outro”, destacou a chefe da missão, citando desafios de logística, entre outros, que atrasaram a obtenção dos equipamentos necessários, como uma greve e um bloqueio da fronteira por causa da neve.

Na remoção de terça-feira, uma primeira quantidade de materiais químicos prioritários foi retirada de dois lugares para o porto sírio de Latakia, onde foi carregada em uma embarcação comercial que navegou para águas internacionais com escolta naval da Dinamarca, Noruega e Síria.

Os agentes químicos de Prioridade 1 serão destruídos no mar a bordo de um navio dos Estados Unidos. A segurança marítima envolve ainda China e Rússia.

Materiais de prioridade menor serão levados para locais em terra, fora da Síria, para destruição em países que concordaram em aceitá-los.

*Com informações da ONU     //    Edição: Talita Cavalcante

Creative Commons - CC BY 3.0

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Fazer uma Denúncia Fazer uma Reclamação Fazer uma Elogio Fazer uma Sugestão Fazer uma Solicitação Fazer uma Simplifique

Deixe seu comentário