one pixel track analytics scorecard

Digite sua busca e aperte enter


Há 17 meses, o país sob um clima de guerra devido aos embates entre a oposição e as forças aliadas do governo do presidente Bashar Al Assad.

Imagem:

Compartilhar:

Prazo para remoção de armas químicas da Síria não será cumprido

Criado em 30/12/13 10h16 e atualizado em 30/12/13 10h43
Por Agência Brasil Edição:Andréa Quintiere

Brasília - O prazo fixado para a remoção de armas químicas da Síria, para posterior destruição, não será cumprido devido a dificuldades técnicas, segundo informações da missão conjunta da Organização para a Proibição das Armas Químicas (Opaq) e das Nações Unidas (ONU).

Os preparativos para o transporte desses materiais continuam em andamento, de acordo com o comunicado emitido pela missão na cidade portuária de Latakia, na Síria. “No entanto, nesta fase, o transporte do material químico mais crítico antes do dia 31 de dezembro é improvável”, diz o documento.

Leia também

Síria: ONU condena violações do regime e aumento no número de extremistas

Armas químicas foram usadas pela Síria pelo menos em cinco ocasiões

De acordo com a ONU, no final de outubro o governo sírio destruiu equipamentos de produção de armas químicas, tornando-os inoperantes. Ao fazer isso, cumpriu o prazo estabelecido pelo Conselho Executivo da Opaq para a completa destruição das instalações de produção de armas químicas até o dia 1º de novembro. 

No plano aprovado pela Opaq, as armas químicas serão transportadas para fora do território sírio para garantir a destruição de “forma mais segura e mais rápida” até 30 de junho de 2014. A data de 31 de dezembro para a remoção do material mais crítico de armas químicas da Síria, para posterior destruição, foi o primeiro “marco intermediário” estabelecido pela Opaq.

“Uma série de fatores externos teve impacto sobre os prazos, incluindo a volatilidade contínua nas condições gerais de segurança, o que limitou os movimentos planejados”, disse a missão conjunta.

A remoção dos agentes químicos para fora do país envolve transportá-los para Latakia, de onde eles serão levados em navios comerciais fornecidos por alguns Estados-Membros da ONU para serem destruídos no mar.

A missão conjunta acrescentou que o Conselho Executivo da Opaq se reunirá no dia 8 de janeiro, quando a coordenadora especial da ONU-Opaq, Sigrid Kaag, apresentará um relatório ao Conselho de Segurança da ONU.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, em um comunicado divulgado por seu porta-voz, ressaltou que o esforço internacional para eliminar armas químicas da Síria continua a apresentar progressos, como demonstrado pelo cumprimento de todos os marcos anteriores nos últimos três meses.

“Apesar desse atraso, a missão conjunta continua a trabalhar de perto e intensamente com o governo da Síria e a ajudar os Estados-Partes para iniciar as operações de remoção e o transporte seguro o mais rápido possível”, diz o comunicado.

* Com informações da ONU

Edição: Andréa Quintiere

Creative Commons - CC BY 3.0

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Fazer uma Denúncia Fazer uma Reclamação Fazer uma Elogio Fazer uma Sugestão Fazer uma Solicitação Fazer uma Simplifique

Deixe seu comentário