one pixel track analytics scorecard

Digite sua busca e aperte enter


Imagem:

Compartilhar:

Mercado esperava executivo de perfil mais independente para a Petrobras

Criado em 06/02/15 17h26 e atualizado em 06/02/15 17h58
Por Alana Gandra Edição:Armando Cardoso Fonte:Agência Brasil

Economistas do Rio de Janeiro ouvidos pela Agência Brasil avaliaram que o mercado ficou decepcionado com a escolha do presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, para presidência da Petrobras, em substituição a Graça Foster.

Para o professor do Departamento de Economia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), José Márcio Camargo, “independente da competência dele”, a indicação mostra que a presidenta Dilma Rousseff  “quer manter o controle sobre a empresa”.

Segundo Camargo, Bendine é uma pessoa muito ligada ao governo federal. “Foi uma indicação política, independente da capacidade dele”.

Lembrou que, à frente do Banco do Brasil, Bendine se esteve disposto a seguir a política econômica do governo e não a atender as necessidades específicas da instituição. “Aumentou a oferta de crédito e diminuiu juros em momentos que os bancos privados estavam fazendo exatamente o contrário”.

Destacou que, por isso, o mercado reagiu tão mal à indicação, que levou as ações da Petrobras a cair perto de 10% esta tarde, na BM&FBovespa. Disse que os  agentes do mercado esperavam uma pessoa com um perfil mais independente, “capaz de promover uma arrumação na situação confusa em que se encontra a empresa”.

O economista Maurício Canêdo, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV), também se manifestou contrário à indicação. “Não foi exatamente o que o mercado estava esperando”, afirmou.

Canêdo disse que a expectativa era que o novo titular da Petrobras fosse um executivo com mais experiência em empresas. “A queda da cotação das ações da Petrobras revela que o perfil da escolha é diferente do esperado”.

Acrescentou que, para o momento delicado da companhia, Aldemir Bendine não era a pessoa mais esperada pelo mercado, embora não coloque em dúvida sua capacidade gerencial.

Maurício Canêdo também ressaltou a ligação política de Bendine com o governo. Segundo ele, isto prejudica a independência que deveria ter para tomar medidas necessárias para a empresa neste momento de crise. 

 

Creative Commons - CC BY 3.0

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Fazer uma Denúncia Fazer uma Reclamação Fazer uma Elogio Fazer uma Sugestão Fazer uma Solicitação Fazer uma Simplifique

Deixe seu comentário