Into inicia segundo mutirão de cirurgias de mão deste ano

09/12/2013 - 17h14

Da Agência Brasil

Rio de Janeiro – O Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into) começou hoje (9) o segundo mutirão de cirurgias de mão do ano, beneficiando 80 pacientes que sofrem com a síndrome do túnel do carpo. O objetivo da ação é acelerar o atendimento aos pacientes com a doença, que leva à perda progressiva da sensibilidade nas mãos e nos dedos. O trabalho prossegue até sexta-feira (13).

A síndrome do túnel de carpo é a maior demanda recebida pelo centro especializado em mão do Into e suas causas podem ser diversas, como doenças reumáticas, diabetes e hipotireoidismo. De acordo com o chefe do Centro de Cirurgia de Mão, Anderson Monteiro, a doença tem maior incidência entre as mulheres com mais de 40 anos, devido à variação hormonal na menopausa.

"Em 95% dos casos, o problema atinge os dois punhos, causando a perda progressiva da sensibilidade da ponta dos dedos. Se a doença não for tratada de forma adequada e em tempo hábil, ela pode ocasionar a dormência total e permanente. Por conta disso, há uma alta incidência da pessoa que tem a síndrome de ser afastada do trabalho", informou Monteiro.

Ainda de acordo com o médico, o tratamento cirúrgico consiste na liberação do túnel do carpo, que fica localizado na parte anterior dos punhos, por onde passam os tendões flexores dos dedos e o nervo mediano. No primeiro mutirão de cirurgias de mão do ano, em setembro, 100 pacientes que sofriam da síndrome foram operados.

Edição: Davi Oliveira

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias, é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil