Paes estima que Rio poderá ter a maior concentração de público de sua história no encerramento da JMJ

27/07/2013 - 17h49

Vinícius Lisboa
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro- O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, estimou hoje (27) que, com base nos dados de chegada de ônibus e peregrinos à cidade, o encerramento da Jornada Mundial da Juventude, amanhã (28), deve reunir o maior público da história do Rio. Ele estimou em torno de 2,5 a 3 milhões de pessoas na Praia de Copacabana.

"Não é simples ter uma aglomeração como essa. Será o nosso quinto réveillon em uma semana, mal comparando. Nem que tivéssemos o melhor sistema de transporte do mundo, o que não é o caso, conseguiríamos dar conta de 2,5 a 3 milhões de pessoas. Não há cidade no mundo que consiga", disse o prefeito, que pediu paciência aos cariocas.

"Gostaria de pedir especialmente à população carioca, e da zona sul da cidade, que a gente continuasse com muita tranquilidade, compreensão e paciência. Com essa demonstração especial de gentileza e amor que a cidade tem dado nos últimos dias".

Paes explicou que a mudança dos eventos de Guaratiba para Copacabana é uma das razões do aumento da expectativa de público. "Significou uma possibilidade de mais pessoas estarem presentes na vigília e no encontro com o papa, porque é um espaço mais adensado, com acessos mais facilitados".

Sobre a saída dos cariocas e peregrinos de Copacabana, o prefeito reconheceu que não há infraestrutura suficiente: "Não será simples a saída de pessoas de Copacabana. Não há infraestrutura de mobilidade que possa dar conta disso. Não são só os peregrinos que estão vindo, a população do Rio abraçou o papa", disse. "Vamos sair ao longo do dia. Aproveite um pouco mais a praia", sugeriu o prefeito.

 

Edição: Aécio Amado

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. É necessário apenas dar crédito à Agência Brasil