Polícia prende 25 e desarticula milícia em Duque de Caxias

21/12/2010 - 18h41

Isabela Vieira
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – A Polícia Civil prendeu hoje (21), 25 pessoas pelo crime de formação de quadrilha armada, durante operação para desarticular um grupo de milicianos em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Foram expedidos 34 mandados de prisão e 54 de busca e apreensão.

Entre os detidos, dois vereadores, policiais e militares das Forças Armadas. Os parlamentares são Sebastião Ferreira da Silva, o Chiquinho Grandão (PTB) e Jonas Gonçalves da Silva, o Jonas é Nóis (PPS). Policial militar reformado, Jonas é apontado como líder do grupo criminoso.

A Câmara Municipal de Duque de Caxias informou que acompanha as investigações por meio do Departamento Jurídico. Os assessores dos vereadores presos não foram encontrados.

De acordo com o Ministério Público Estadual, a milícia intitulada Famílias É Nós atuava há três anos em diversas regiões de Duque de Caxias. Os crimes mais comuns eram a cobrança de ágio no preços dos botijões de gás e exploração do transporte alternativo.

Na lista de crimes praticados pelos milicianos também estão a cobrança de comerciantes pelo serviço ilegal de segurança, por serviços clandestinos de TV a cabo e internet, além de exploração de máquinas caça-níqueis. Tráfico de  influência, agiotagem e grilagem também são citados pela polícia.

"Eles praticavam toda a sorte de crimes relacionados à milícias: extorsões, homicídios qualificados, ameaças e todo tipo de constrangimento", citou o promotor do caso, Claudio Varela. Segundo ele, a neutralização do bando deve se refletir em melhorias na vida da população.

Cerca de 200 agentes integram a equipe da Operação Capa Preta, iniciada durante a madrugada de hoje e sem data para terminar. Também participam agentes do Exército, do Corpo de Fuzileiros Navais e das corregedorias de Polícias Civil e militar.
 

 

Edição: Rivadavia Severo