Urnas biométricas: expectativa em Hidrolândia é que reconhecimento das digitais ultrapasse 89%

31/10/2010 - 15h19

Paula Laboissière
Enviada especial

Hidrolândia (GO) - No primeiro turno das eleições deste ano, o município de Hidrolândia, em goiás – único no estado a adotar urnas biométricas – registrou 89% de reconhecimento das digitais cadastradas. Para o segundo turno, a expectativa é que o reconhecimento biométrico dos eleitores seja ainda maior.

Os eleitores de Hidrolândia testaram o sistema biométrico em agosto em uma eleição simulada. O sistema apresentou falhas na identificação das digitais e o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás garantiu que seriam tomadas providências para que o mesmo problema não ocorresse durante o pleito.

O chefe da 62ª Zona Eleitoral de Hidrolândia, Fernando Sado, explicou que a região é composta por muitas fazendas. Muitos eleitores trabalham em lavouras e na criação de gado, o que, segundo ele, pode comprometer as digitais. “Mesmo assim, o índice [de reconhecimento biométrico] no primeiro turno foi considerado alto e, para o segundo turno, deve ser ainda maior”, disse.

Fernando Sado destacou ainda que, até o momento, nenhum leitor biométrico apresentou problema. Algumas urnas da cidade, segundo ele, travaram e precisaram ser reiniciadas, mas sem que os dados fossem perdidos.

O município também não registrou nenhuma prisão por crime eleitoral. No primeiro turno, três pessoas foram presas por boca de urna. Hidrolândia tem 11.260 eleitores distribuídos em 46 seções de votação.

Além de Hidrolândia, 59 cidades de mais 22 estados adotam, nas eleições de hoje, o sistema biométrico.

Edição: Talita Cavalcante