Falta de quórum e de acordo inviabiliza esforço concentrado da Câmara dos Deputados

17/08/2010 - 23h08

Iolando Lourenço
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A falta de quórum e de um acordo entre lideranças do governo e da oposição inviabilizaram o esforço concentrado da Câmara previsto para hoje (17) e amanhã (18). Diversas reuniões foram feitas para tentar um entendimento que viabilizasse as votações.

Os governistas insistiam na votação das três medidas provisórias que estão trancando a pauta, enquanto que a oposição não abria mão de votar as duas propostas de emenda à Constituição (PECs) do piso dos policiais e bombeiros (PEC 308) e a dos agentes e inspetores penitenciários (PEC 308).

O líder do governo, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), prevendo a falta de quórum e de acordo com a oposição propôs no final da tarde o cancelamento das sessões do esforço concentrado. Mesmo assim, Vaccarezza e outros líderes da base aliada insistiram na busca de um entendimento e voltaram a se reunir com as lideranças da oposição.

A oposição chegou a propor a votação da Medida Provisória 487, que aumenta em R$ 80 bilhões o limite de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e em seguida votar as PECs de interesse do policiais e servidores penitenciários. O governo não concordou com a proposta. “O governo não abre mão de votar as três MPs e depois as PECs. A oposição quer votar uma MP e as PECs, o governo não concorda”, disse o líder do PDT, Dagoberto (MS).

O líder do PSDB, deputado João Almeida (BA), deixou a reunião de líderes na noite de hoje, acusando o governo de não querer votar nada. “O governo não quer votar nada. Está enganando todo mundo. Estão querendo o impossível, que é votar as MPs e depois as PECs. Propomos votar a primeira MP e depois as PECs, o governo não aceitou”.

Mesmo com os impasses, nova reunião da Câmara foi convocada para amanhã (18), às 14 horas com a mesma pauta das sessões de hoje. A expectativa das lideranças partidárias é que a sessão de votação seja transformada em reunião de debates, já que não há quórum para votações. Compareceram hoje à Câmara 381 dos 513 deputados, mas só 319 registraram presença no plenário. E muitos do que marcaram presença viajaram hoje mesmo para seus estados.
 

 

Edição: Rivadavia Severo