Técnicos dos Estados Unidos ajudarão a investigar acidente com Boeing da Gol

04/10/2006 - 0h20

Raquel Mariano
da Agência Brasil
Brasília - A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou hoje (3), em nota, que já estão no Brasil os quatro representantes de instituições norte-americanas que acompanharão os trabalhos de investigação sobre a queda do Boeing 737-800 da empresa aérea Gol, que resultou na morte de 155 pessoas.Eles trabalharão com a comissão designada pelo Comando da Aeronáutica, que terá, em princípio, 90 dias para apresentar o resultado. O prazo, no entanto, poderá ser prorrogado por tempo indeterminado. Os norte-americanos são técnicos da Federal Aviation Administration (FAA), a autoridade de aviação civil dos Estados Unidos, e da National Transportation Safety Board, uma agência que investiga causas de acidentes e é ligada ao governo desse país.Segundo a Anac, esta é a segunda etapa da investigação. A primeira, de análise e perícia, foi realizada por técnicos do Rio de Janeiro, que fizeram fotos, colheram material e analisaram o local do acidente. Agora, a causa está sendo investigada em quatro locais: São José dos Campos (SP), na sede da Embraer (Empresa Brasileira de Aeronáutica); na Serra do Cachimbo (sul do Pará), onde pousou o jato Legacy envolvido no acidente; em Brasília e no Rio de Janeiro, acrescenta a nota.Assim que a comissão de investigação elaborar o relatório final, ele será enviado para o Centro de Investigação Preventivo de Acidentes (Cenipa), do Comando da Aeronáutica, e publicado após sua aprovação, informou a Anac.