Cerimônia com presença de Lula em Sorocaba (SP) teve confronto entre estudantes e militantes

13/04/2006 - 18h37

Brasília, 13/4/2006 (Agência Brasil - ABr) - A visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva hoje a Sorocaba (SP), onde participou da cerimônia do início de obras no campus avançado da Universidade Federal de São Carlos, foi marcada por tumulto entre estudantes e militantes.

Segundo a diretora de Comunicação da universidade, Mariana Bezzo, "houve provocação mútua entre as lideranças, que resultou em agressões físicas e ferimentos sem gravidade". Algumas pessoas, disse Bezzo, foram queimadas por cigarros e outras receberam chutes. As que se machucaram foram atendidas no local, informou a diretora.

Os estudantes pretendiam fazer uma manifestação, mas quando chegaram à área do campus, os seguranças resolveram tomar os apitos, embora tenham consentido que passassem com as faixas e cartazes, que faziam reivindicações à universidade, como moradia no campus, e instalação de um restaurante universitário e de biblioteca.

O diretor do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da universidade, Ettore Paredes Antunes, disse à Agência Brasil que "alguns militantes da CUT [Central Única dos Trabalhadores] e do PT [Partido dos Trabalhadores] entenderam errado o sentido de um manifesto" que eles pretendiam distribuir no local. Segundo ele, o texto "apenas pedia ao governo federal que se interessasse em ajudar os estudantes nas pretensões junto à universidade, que por sinal já foram levadas também ao Ministério da Educação".

"O manifesto não tinha nenhum sentido político ou partidário; queríamos apenas apoio para nossas reivindicações", disse o diretor do DCE. "Tivemos que deixar o local, pois éramos cerca de 10% dos militantes." Ele calcula que havia em torno de mil pessoas no evento. "Fomos chamados de burgueses e diziam que queríamos derrotar o Lula", relatou Antunes, observando que não culpa o PT ou a CUT como um todo, "mas militantes exaltados como protagonistas das agressões".

A Polícia Militar não teve acesso ao local, onde estava apenas contingente reduzido da Polícia Federal e seguranças da Presidência da República, segundo o diretor do DCE. Os estudantes registraram ocorrência em delegacia de Sorocaba.