Servidores da Funasa suspenderão a greve na quarta-feira

31/03/2006 - 22h50

Adriana Franzin
Da Agência Brasil

Brasília - Servidores da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) decidiram suspender provisoriamente, a partir de quarta-feira (5/4), a greve que paralisou os trabalhos em nove estados. Desde o dia 15, estão em greve servidores públicos federais de outros quatro órgãos regidos pela Lei 5.645/70, que criou o Plano de Classificação de Cargos (PCC).

Funcionários dos ministérios da Fazenda, Agricultura e Educação, além da Fundação Nacional do Índio e do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – que aderiram no dia 27 – aprovaram na manhã de hoje (31) uma contraproposta que será levada ao governo na segunda-feira (3/4). A categoria quer que o governo cumpra os compromissos setoriais assumidos com os servidores no ano passado.

Já os funcionários da Funasa aceitaram proposta feita ontem (30) pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério do Planejamento para os dependentes da Seguridade Social. Segundo a Confederação dos Trabalhadores do Serviço Público Federal (Condsef), o acordo envolve uma promessa de definição das atribuições de 25,5 mil funcionários.

Desde 2003, explicou Sérgio Ronaldo da Silva, diretor da Condsef, as atribuições da área funcional de epidemiologia da Funasa foram transferidas, por meio da portaria 1172 de junho de 2004 do Ministério da Saúde, para as secretarias estaduais e municipais de Vigilância Epidemiológica. Os servidores ficaram, então, sem lotação definida, o que dificulta a construção do plano de carreira na Seguridade Social.

O diretor informou que a proposta dos ministérios pretende resolver definitivamente esse impasse, com o compromisso de não cortar ponto e não retaliar os funcionários parados. "O governo se comprometeu a solucionar esses problemas em dez dias", afirmou.