igreja metodista https://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil//taxonomy/term/174469/all pt-br Não se pode demonizar atuação de igrejas dizendo que elas só apoiaram a ditadura, diz bispo https://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil//noticia/2013-09-18/nao-se-pode-demonizar-atuacao-de-igrejas-dizendo-que-elas-so-apoiaram-ditadura-diz-bispo <p>Cristina Indio do Brasil<br /> <em>Rep&oacute;rter da Ag&ecirc;ncia Brasil</em></p> <p> Rio de Janeiro - O bispo em&eacute;rito da Igreja Metodista e te&oacute;logo Paulo Ayres disse hoje (18) durante depoimento &agrave;s comiss&otilde;es Nacional e Estadual da Verdade no audit&oacute;rio da Caixa de Assist&ecirc;ncia dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro (Caarj), no centro do Rio, que n&atilde;o se pode demonizar a atua&ccedil;&atilde;o de igrejas com a defini&ccedil;&atilde;o somente de que elas apoiaram o golpe de 1964 e a ditadura. Muitos integrantes, como ele, defendiam posi&ccedil;&otilde;es contr&aacute;rias.</p> <p> &ldquo;Tanto no caso da Igreja Metodista, quanto da Presbiteriana e da Batista, foram nossos pr&oacute;prios irm&atilde;os que agiram em nome da repress&atilde;o contra n&oacute;s, muitas vezes for&ccedil;ados at&eacute; pela repress&atilde;o do governo militar, mas havia gente que, por assumir posi&ccedil;&otilde;es contr&aacute;rias ao que estava dominando no pa&iacute;s, teve que pagar um pre&ccedil;o. As igrejas n&atilde;o s&atilde;o corpos estranhos na sociedade&rdquo;, esclareceu.</p> <p> No depoimento, Paulo Ayres fez um relato sobre a participa&ccedil;&atilde;o das igrejas evang&eacute;licas no per&iacute;odo e mostrou que o trabalho teve liga&ccedil;&otilde;es com a Igreja Cat&oacute;lica e com pessoas que n&atilde;o tinham religi&atilde;o. Na avalia&ccedil;&atilde;o do te&oacute;logo, as informa&ccedil;&otilde;es que apresentou na audi&ecirc;ncia agregaram ao trabalho da comiss&atilde;o um resgate relevante porque, atualmente, as igrejas evang&eacute;licas passam por um per&iacute;odo dif&iacute;cil. &ldquo;As igrejas evang&eacute;licas hoje no Brasil passam por um per&iacute;odo de trevas. &Eacute; preciso que haja a percep&ccedil;&atilde;o que nem todo evang&eacute;lico &eacute; igual a Marcos Feliciano, que h&aacute; evang&eacute;licos com posi&ccedil;&otilde;es em defesa da justi&ccedil;a, da liberdade, da solidariedade e da verdade&rdquo;, disse.</p> <p> Ayres defendeu que os torturadores do per&iacute;odo da ditadura no Brasil sejam punidos. Ele contou que no per&iacute;odo foi denunciado aos &oacute;rg&atilde;os de repress&atilde;o por um bispo da pr&oacute;pria igreja que frequentava. &ldquo;Alguns anos depois nos tornamos amigos e ele [o bispo que o denunciou] sabia que eu tinha conhecimento de que havia me denunciado, mas, mesmo assim, acho que ele tem que ser punido&rdquo;, disse Ayres.</p> <p> Na avalia&ccedil;&atilde;o dele, n&atilde;o haver&aacute; uma democracia plena no Brasil se os torturadores n&atilde;o forem levados &agrave; Justi&ccedil;a. &ldquo;Sen&atilde;o vamos continuar tendo situa&ccedil;&otilde;es como &#39;cad&ecirc; o Amarildo?&#39; O que nos anos 1970 foi em rela&ccedil;&atilde;o aos presos pol&iacute;ticos, hoje &eacute; em rela&ccedil;&atilde;o a qualquer cidad&atilde;o, inclusive o Amarildo&rdquo;, disse.</p> <p> Para o coordenador do grupo de trabalho Papel das Igrejas durante a Ditadura da CNV, Anivaldo Padilha, o depoimento do bispo Paulo Ayres apresentou elementos novos sobre a pr&oacute;pria situa&ccedil;&atilde;o de persegui&ccedil;&otilde;es e dela&ccedil;&otilde;es e mostrou a necessidade de reflex&atilde;o sobre a complexidade das institui&ccedil;&otilde;es religiosas, no caso a composi&ccedil;&atilde;o das igrejas.</p> <p> &ldquo;N&atilde;o se pode olh&aacute;-las como se fossem homog&ecirc;neas. Elas t&ecirc;m dentro de si seus conflitos e suas diversidades e posi&ccedil;&otilde;es pol&iacute;ticas e &agrave;s vezes teol&oacute;gicas divergentes. Posi&ccedil;&otilde;es em conflito que se manifestaram na &eacute;poca da ditadura que extrapolaram as fronteiras da conviv&ecirc;ncia democr&aacute;tica com posi&ccedil;&otilde;es diferentes. Foram setores da igreja que denunciaram seus irm&atilde;os e irm&atilde;s, setores que apoiaram a ditadura e setores que se opuseram&rdquo;, disse.</p> <p> Antes do depoimento de Ayres, a comiss&atilde;o exibiu o depoimento de dom Waldyr Calheiros, bispo em&eacute;rito de Volta Redonda, regi&atilde;o do Vale do Para&iacute;ba, que atuou na defesa dos direitos de trabalhadores e de agentes de pastoral presos durante a ditadura. Aos 90 anos e com problemas de sa&uacute;de, o depoimento foi feito por meio de v&iacute;deo que teve a capta&ccedil;&atilde;o de &aacute;udio e de imagens da <strong>Empresa Brasil de Comunica&ccedil;&atilde;o (EBC).</strong></p> <p> O bispo disse que quem tomava posi&ccedil;&atilde;o sobre os problemas sociais era mal visto. &ldquo;Quando n&atilde;o queriam mostrar as suas tend&ecirc;ncias, procuravam se esconder&rdquo;, disse. Dom Waldyr contou epis&oacute;dios como o do ex-deputado M&aacute;rcio Moreira Alves, que pertencia &agrave; pastoral universit&aacute;ria. Segundo o religioso, M&aacute;rcio tinha posi&ccedil;&otilde;es claras e por isso foi perseguido e se complicou com o governo na ditadura e foi morar na Fran&ccedil;a.</p> <p> &ldquo;M&aacute;rcio tinha a sua m&atilde;ezinha que por um acidente estava quase morrendo em situa&ccedil;&atilde;o dolorosa. Ele pediu para eu o acompanhar e conseguiram licen&ccedil;a para o M&aacute;rcio vir ao Brasil assistir ao enterro da m&atilde;e. Era uma concess&atilde;o s&oacute; para o enterro. M&aacute;rcio n&atilde;o aceitou e manteve a sua liberdade de posi&ccedil;&atilde;o&rdquo;, revelou.</p> <p> <em>Edi&ccedil;&atilde;o: F&aacute;bio Massalli</em></p> <p> Todo o conte&uacute;do deste site est&aacute; publicado sob a Licen&ccedil;a Creative Commons Atribui&ccedil;&atilde;o 3.0 Brasil. Para reproduzir o material &eacute; necess&aacute;rio apenas dar cr&eacute;dito &agrave; <strong>Ag&ecirc;ncia Brasil</strong></p> atuação das igrejas no regime militar batista bispo Cidadania ditadura dom Waldyr Calheiros igreja evangélica igreja metodista presbiteriana pulo ayres regime militar Thu, 19 Sep 2013 02:22:41 +0000 fabio.massalli 731017 at https://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/