Olimpíadas do Rio 2016 http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/taxonomy/term/172777/all pt-br Atletas de alto rendimento poderão ter bolsas de até R$ 15 mil http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticia/2013-08-29/atletas-de-alto-rendimento-poderao-ter-bolsas-de-ate-r-15-mil <p>Akemi Nitahara<br /> <em>Rep&oacute;rter da Ag&ecirc;ncia Brasil</em></p> <p> Rio de Janeiro &ndash; Atletas de alto rendimento poder&atilde;o ganhar bolsas de R$ 5 mil a R$ 15 mil com base nos resultados obtidos em competi&ccedil;&otilde;es internacionais e crit&eacute;rios t&eacute;cnicos das confedera&ccedil;&otilde;es esportivas. &Eacute; o que prop&otilde;e o Programa Bolsa Atleta P&oacute;dio, apresentado hoje (29) e que faz parte do Plano Brasil Medalhas 2016, lan&ccedil;ado em setembro do ano passado.</p> <p> O secret&aacute;rio nacional de Esporte de Alto Rendimento do Minist&eacute;rio do Esporte, Ricardo Leyser, disse que o programa &eacute; voltado para a profissionaliza&ccedil;&atilde;o dos atletas ol&iacute;mpicos. &ldquo;Tudo o que n&oacute;s estamos fazendo &eacute; construir os Jogos Ol&iacute;mpicos do Rio 2016 e construir um legado esportivo para o nosso pa&iacute;s. O nosso objetivo &eacute; ter o melhor desempenho da hist&oacute;ria do Brasil, de todos os Jogos Ol&iacute;mpicos, mas que esse desempenho n&atilde;o acabe. &Eacute; construir uma nova situa&ccedil;&atilde;o para o esporte brasileiro. A gente gostaria que o esporte brasileiro se dividisse em antes e depois de 2016&rdquo;.</p> <p> <img alt="" src="http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/sites/_agenciabrasil/files/imagecache/300x225/gallery_assist/23/gallery_assist729448/prev/ABr290813_DSC6899.jpg" style="width: 300px; height: 225px; margin: 3px; float: right;" />De acordo com ele, ser&atilde;o investidos R$ 1 bilh&atilde;o at&eacute; 2016, sendo R$ 390 milh&otilde;es para a constru&ccedil;&atilde;o de centros de treinamento e R$ 610 milh&otilde;es para o apoio aos atletas. A primeira modalidade beneficiada foi o jud&ocirc;, que tem garantido medalhas ol&iacute;mpicas e em mundiais para o pa&iacute;s. O an&uacute;ncio dos 27 atletas beneficiados foi feito hoje durante o Campeonato Mundial de Jud&ocirc;, que termina no domingo (1&ordm;)&nbsp; no Gin&aacute;sio do Maracan&atilde;zinho.</p> <p> O primeiro campe&atilde;o ol&iacute;mpico do jud&ocirc; brasileiro, Rog&eacute;rio Sampaio, ouro em Barcelona em 1992, destaca a tranquilidade que a bolsa proporciona aos atletas para se profissionalizar e se dedicar ao treinamento. &ldquo;Nos &uacute;ltimos anos, at&eacute; pela credibilidade que vem sendo constru&iacute;da pela confedera&ccedil;&atilde;o, o n&uacute;mero de patrocinadores aumenta. Mas o apoio do governo federal por meio do Bolsa P&oacute;dio vai aumentar ainda mais a tranquilidade para que os atletas possam treinar. E a gente sabe que a consequ&ecirc;ncia disso ser&atilde;o resultados melhores ainda&rdquo;.</p> <p> Jo&atilde;o Derly, primeiro judoca brasileiro a conquistar um ouro em mundial, em 2005 e 2007, explica que sua maior luta foi fora do tatame. &ldquo;A possibilidade de ter um recurso, fora o patroc&iacute;nio privado, traz uma seguran&ccedil;a enorme de fazer um trabalho. Sempre me perguntam qual foi o principal advers&aacute;rio, eu digo que foi ter patroc&iacute;nio para ter condi&ccedil;&otilde;es de me manter dentro do esporte. Eu s&oacute; tive essa oportunidade de patroc&iacute;nio privado depois de ter conquistado um t&iacute;tulo mundial&rdquo;.</p> <p> Rafaela Silva, que ganhou ontem (28) o primeiro ouro do jud&ocirc; feminino em mundiais, acredita que agora ter&aacute; mais recursos para treinar. &ldquo;Eu sou de uma fam&iacute;lia humilde, ent&atilde;o quando eu comecei no jud&ocirc; eu sempre ganhava as competi&ccedil;&otilde;es, mas n&atilde;o sabia se ia viajar, sempre tinha essa d&uacute;vida. Com o apoio da bolsa &eacute; muito importante porque eu vou poder comprar meu quimono, minha suplementa&ccedil;&atilde;o, pagar uma viagem, &eacute; muito importante para o atleta&rdquo;.</p> <p> Sarah Menezes, que conquistou o primeiro ouro ol&iacute;mpico do jud&ocirc; feminino, no ano passado em Londres, disse que a bolsa vai proporcionar mais dedica&ccedil;&atilde;o aos treinos. &ldquo;Eu sempre recebi Bolsa Atleta, e agora com Bolsa P&oacute;dio triplica o valor. Isso &eacute; muito bom, d&aacute; uma tranquilidade, um conforto bem melhor para o atleta e a gente fica bem satisfeito&rdquo;.</p> <p> O programa deve beneficiar 160 atletas, de 21 modalidades ol&iacute;mpicas e 15 paral&iacute;mpicas. O objetivo &eacute; que o Brasil fique entre os dez primeiros no quadro de medalhas em 2016 e entre os cinco melhores nos Jogos Paral&iacute;mpicos. J&aacute; saiu a lista dos 44 para-atletas beneficiados. Os pr&oacute;ximos esportes contemplados ser&atilde;o anunciados assim que forem aprovados os planos enviados pelas confedera&ccedil;&otilde;es.</p> <p>A bolsa &eacute; revisada a cada ano, podendo diminuir ou aumentar de valor de acordo com o desempenho do atleta, que pode tamb&eacute;m ter o benef&iacute;cio cortado. O Bolsa Atleta ser&aacute; concedida este ano a mais de 6 mil esportistas, nas categorias base, estudantil, nacional, internacional e ol&iacute;mpico/paral&iacute;mpico e P&oacute;dio.</p> <p> <em>Edi&ccedil;&atilde;o: Carolina Pimentel</em></p> <p> <em>Todo o conte&uacute;do deste site est&aacute; publicado sob a Licen&ccedil;a Creative Commons Atribui&ccedil;&atilde;o 3.0 Brasil. &Eacute; necess&aacute;rio apenas dar cr&eacute;dito &agrave; <strong>Ag&ecirc;ncia Brasil</strong></em></p> atletas Bolsa Atleta Pódio Esporte esporte de alto rendimento esportistas judô Olimpíadas do Rio 2016 profissionalização treinamento Thu, 29 Aug 2013 23:15:56 +0000 carolinap 729444 at http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil