revalidar diploma médico http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/taxonomy/term/172341/all pt-br Agência Brasil errou http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticia/2013-08-25/agencia-brasil-errou <div class="content"> <p>Bras&iacute;lia - A mat&eacute;ria &quot;M&eacute;dicos fazem o Revalida em Bras&iacute;lia e comentam as pol&ecirc;micas sobre a prova e vinda de estrangeiros&quot;, publicada hoje (25) &agrave;s <span class="field-content">12h28,</span> foi alterada &agrave;s 14h53 para corre&ccedil;&atilde;o de informa&ccedil;&atilde;o. Diferentemente do que o texto informava, o Revalida est&aacute; sendo aplicado em dez capitais.</p> <p>Leia <a href="http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-08-25/medicos-fazem-revalida-em-brasilia-e-comentam-polemicas-sobre-prova-e-vinda-de-estrangeiros">aqui</a> mat&eacute;ria corrigida.</p> <p>&nbsp;</p> </div> Brasília diploma estrangeiro médicos Médicos cubanos Nacional Programa Mais Médicos prova qualidade do ensino em Cuba Revalida revalidar diploma médico unb Sun, 25 Aug 2013 18:01:43 +0000 aquintiere 728944 at http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil Médicos fazem o Revalida em Brasília e comentam as polêmicas sobre a prova e vinda de estrangeiros http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticia/2013-08-25/medicos-fazem-revalida-em-brasilia-e-comentam-polemicas-sobre-prova-e-vinda-de-estrangeiros <p><img alt="" src="http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/sites/_agenciabrasil/files/imagecache/300x225/gallery_assist/24/gallery_assist728937/prev/ABr082513VCVAC_8621.jpg" style="width: 300px; height: 225px; margin: 3px; float: right;" />Alex Rodrigues<br /> <em>Rep&oacute;rter Ag&ecirc;ncia Brasil</em></p> <p> Bras&iacute;lia &ndash; Dos 1.772 m&eacute;dicos formados no exterior inscritos para participar do Exame Nacional de Revalida&ccedil;&atilde;o de Diplomas M&eacute;dicos (Revalida), 148 optaram por fazer as provas da primera fase em Bras&iacute;lia (DF). A aprova&ccedil;&atilde;o no exame &eacute; obrigat&oacute;ria para profissionais que se formaram em outros pa&iacute;ses e querem trabalhar no Brasil. Na capital federal, a prova acontece no campus da Universidade de Bras&iacute;lia (UnB), onde alguns candidatos e vendedores ambulantes come&ccedil;aram a chegar por volta das 7h. Os port&otilde;es foram fechados &agrave;s 8h e, at&eacute; as 8h30, nenhum inscrito havia chegado atrasado.</p> <p> Aplicado desde 2011, este ano o Revalida atraiu maior aten&ccedil;&atilde;o devido &agrave; pol&ecirc;mica surgida com a iniciativa do governo federal de autorizar profissionais de outros pa&iacute;ses a atuarem em regi&otilde;es onde faltam m&eacute;dicos na rede p&uacute;blica de sa&uacute;de sem se submeterem &agrave; prova. Al&eacute;m disso, o n&uacute;mero de candidatos este ano (1.851) foi mais de duas vezes maior do que em 2012, quando 922 pessoas se inscreveram. E o n&uacute;mero de cidades onde ocorrem as provas quase dobrou, passando de seis capitais a dez: Bras&iacute;lia, Campo Grande, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Porto Alegre, Rio Branco, Rio de Janeiro, Salvador, al&eacute;m de S&atilde;o Paulo, onde foi registrado o maior n&uacute;mero de candidatos inscritos (424).</p> <p>Ansiosos diante da expectativa de ficar das 8h &agrave;s 13h respondendo &agrave;s 110 perguntas de m&uacute;ltipla escolha e das 15h &agrave;s 18h fazendo as cinco quest&otilde;es discursivas, v&aacute;rios candidatos ouvidos pela <strong>Ag&ecirc;ncia Brasil</strong> comentaram que seria melhor se o exame fosse feito em dois dias.</p> <p> <img alt="" src="http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/sites/_agenciabrasil/files/imagecache/300x225/gallery_assist/24/gallery_assist728937/prev/ABr082513VCVAC_8631.jpg" style="width: 300px; height: 225px; margin: 3px; float: left;" />&ldquo;Eu diria que o n&iacute;vel [de dificuldade] da prova &eacute; bom, nem f&aacute;cil, nem t&atilde;o dif&iacute;cil. O complicado mesmo &eacute; que ela &eacute; cansativa, principalmente por ser feita em um &uacute;nico dia&rdquo;, comentou Daniel Santos Rodrigues Martins, formado em Cuba h&aacute; tr&ecirc;s anos. Ele se submeteu &agrave; prova em 2011 e, hoje, acompanhava um grupo de amigos que fazem o exame.</p> <p> J&aacute; atuando profissionalmente, Martins diz n&atilde;o ter enfrentado grandes dificuldades para colocar em pr&aacute;tica, no Brasil, o que aprendeu em Cuba. &ldquo;O ensino l&aacute; &eacute; muito competente. Hoje, com a globaliza&ccedil;&atilde;o do conhecimento, o ensino est&aacute; bastante uniformizado no mundo inteiro. Em Cuba ou aqui, as refer&ecirc;ncias bibliogr&aacute;ficas s&atilde;o basicamente as mesmas e, no caso das especialidades, h&aacute; par&acirc;metros internacionais&rdquo;, acrescentou Martins, que disse n&atilde;o ver problemas em m&eacute;dicos estrangeiros contratados para atuar em regi&otilde;es carentes do pa&iacute;s por meio do Programa Mais M&eacute;dicos serem liberados de revalidarem seus diplomas.</p> <p> &ldquo;Acho que seria justo e que n&atilde;o haveria problemas em submet&ecirc;-los &agrave; prova, mas &eacute; preciso lembrar que eles est&atilde;o vindo em car&aacute;ter emergencial. N&atilde;o que este seja o melhor caminho para resolver o problema da sa&uacute;de, mas, al&eacute;m de investimentos na infraestrutura e da cria&ccedil;&atilde;o de uma carreira [de Estado] para incentivar os m&eacute;dicos a irem para &aacute;reas de dif&iacute;cil acesso, eu acredito que s&atilde;o necess&aacute;rias medidas emergenciais, pois h&aacute; pessoas doentes precisando de aten&ccedil;&atilde;o e &eacute; dif&iacute;cil encontrar quem queira ir para onde elas est&atilde;o&rdquo;, disse Martins.</p> <p> <img alt="" src="http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/sites/_agenciabrasil/files/imagecache/300x225/gallery_assist/24/gallery_assist728937/prev/ABr082513VCVAC_8638.jpg" style="width: 300px; height: 225px; margin: 3px; float: right;" />Tamb&eacute;m formado em Cuba, Luiz Fernado Farias Bisco regressou ao Brasil h&aacute; poucos meses e faz o Revalida pela primeira vez.</p> <p> &ldquo;Fui para Cuba atra&iacute;do pelo reconhecimento mundial da qualidade do sistema de sa&uacute;de cubano e pela import&acirc;ncia que, l&aacute;, se d&aacute; &agrave; aten&ccedil;&atilde;o prim&aacute;ria. Fui indicado por um partido [pol&iacute;tico], fiz a prova na embaixada cubana e me mudei&rdquo;, contou Bispo, para quem a pol&ecirc;mica em torno da vinda de m&eacute;dicos estrangeiros e a libera&ccedil;&atilde;o desses de fazerem o Revalida &eacute; fruto de uma &ldquo;briga pol&iacute;tica&rdquo;.</p> <p> &ldquo;Enquanto pa&iacute;ses europeus como Portugal pedem que os m&eacute;dicos cubanos permane&ccedil;am trabalhando por l&aacute;, alguns, no Brasil, revidam a essa iniciativa&rdquo;, argumentou Bispo, que tamb&eacute;m disse n&atilde;o v&ecirc;r incoer&ecirc;ncia alguma entre ter que se submeter ao Revalida para poder exercer a medicina no seu pr&oacute;prio pa&iacute;s, enquanto profissionais estrangeiros contratados pelo Programa Mais M&eacute;dicos s&atilde;o dispensados do exame.</p> <p>&ldquo;Uma coisa &eacute; a revalida&ccedil;&atilde;o dos diplomas. Outra &eacute; o programa federal. Se o pa&iacute;s precisa de m&eacute;dicos, se h&aacute; lugares onde n&atilde;o h&aacute; profissionais, eu n&atilde;o vejo nenhuma injusti&ccedil;a nisso. N&atilde;o creio que seja a solu&ccedil;&atilde;o, mas &eacute; uma iniciativa correta, em vista do car&aacute;ter emergencial. Se formos falar de prova, aqui ningu&eacute;m que se forma faz um exame para ver se de fato est&aacute; apto a trabalhar. Ao contr&aacute;rio do que acontece em Cuba, onde todos t&ecirc;m que fazer um exame de ordem&quot;, disse Bispo.</p> <p> <img alt="" src="http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/sites/_agenciabrasil/files/imagecache/300x225/gallery_assist/24/gallery_assist728937/prev/ABr082513VCVAC_8646.jpg" style="width: 300px; height: 225px; margin: 3px; float: left;" />J&aacute; para Mayara Vaz Davico, que se formou na Argentina, terra natal de seu pai, o mais correto seria que todos os profissionais formados no exterior fizessem o Revalida, inclusive para contornar qualquer pol&ecirc;mica. &ldquo;At&eacute; porque, se depois dos tr&ecirc;s anos de contrato algum deles quiser ficar no pa&iacute;s, vai ter que fazer e revalidar o diploma&rdquo;. Mayara diz que tentou, mas n&atilde;o conseguiu se inscrever no Programa Mais M&eacute;dicos. &ldquo;Sempre aparecia que a inscri&ccedil;&atilde;o n&atilde;o tinha sido confirmada. E agora eu fico sabendo que h&aacute; cubanos que sequer precisaram se inscrever indo para uma cidade a 10 quil&ocirc;metros de onde eu vivo e onde queria trabalhar.&quot;</p> <p>&nbsp;</p> <p><em>Edi&ccedil;&atilde;o: Andr&eacute;a Quintiere</em></p> <p> <em>Todo o conte&uacute;do deste site est&aacute; publicado sob a Licen&ccedil;a Creative Commons Atribui&ccedil;&atilde;o 3.0 Brasil. Para reproduzir o material &eacute; necess&aacute;rio apenas dar cr&eacute;dito &agrave; <strong>Ag&ecirc;ncia Brasil </strong></em></p> Brasília diploma estrangeiro médicos Médicos cubanos Nacional Programa Mais Médicos prova qualidade do ensino em Cuba Revalida revalidar diploma médico unb Sun, 25 Aug 2013 15:28:24 +0000 aquintiere 728938 at http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil