Vidas em Cenas https://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil//taxonomy/term/153546/all pt-br Exposição apresenta cenas da vida de pessoas com deficiência na capital paulista https://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil//noticia/2013-02-10/exposicao-apresenta-cenas-da-vida-de-pessoas-com-deficiencia-na-capital-paulista <p> Daniel Mello<br /> <em>Rep&oacute;rter da Ag&ecirc;ncia Brasil</em></p> <p> S&atilde;o Paulo &ndash; O namoro no banquinho ao p&ocirc;r do sol, o casamento, uma conversa na rua. Essas s&atilde;o algumas das cenas da exposi&ccedil;&atilde;o Vidas em Cenas, que retrata momentos da vida de pessoas com defici&ecirc;ncia e pode ser vista at&eacute; o dia 31 de mar&ccedil;o no Memorial da Inclus&atilde;o, zona oeste paulistana. &ldquo;As pessoas ditas normais olham para a pessoa deficiente com d&oacute;, como se n&atilde;o pudesse casar, n&atilde;o pudesse ser feliz&rdquo;, destaca a modelo e atriz Priscila Menucci, uma das retratadas na exposi&ccedil;&atilde;o.</p> <p> A foto favorita de Priscila n&atilde;o &eacute;, no entanto, a sua pr&oacute;pria, posando ao lado de manequins. Ela gosta muito da imagem que mostra o casamento de uma cadeirante. Para ela, uma comprova&ccedil;&atilde;o para quem ainda duvida da felicidade das pessoas com defici&ecirc;ncia. O riso permeia at&eacute; o trabalho da atriz, que prefere atuar em com&eacute;dias, seja no teatro ou na TV. &ldquo;Prefiro o humor, chorar todo mundo sabe fazer&rdquo;, diz a artista que tem nanismo.</p> <p> A curadora do Memorial da Inclus&atilde;o, Elza Ambr&oacute;sio, explica que as 12 fotos fazem uma esp&eacute;cie de linha do tempo da pessoa com defici&ecirc;ncia. &ldquo;Desde muito cedo, crian&ccedil;a, passando pela adolesc&ecirc;ncia, vida adulta, escola, na vida profissional, namoro, casamento at&eacute; velhice&rdquo;, explica.</p> <p> A exposi&ccedil;&atilde;o tempor&aacute;ria &eacute;, segundo Elza, uma forma de receber o trabalho de outras pessoas que tamb&eacute;m se esfor&ccedil;am em prol dos direitos das pessoas com defici&ecirc;ncia. &ldquo;A ideia central do Memorial da Inclus&atilde;o &eacute; falar do movimento social da pessoa com defici&ecirc;ncia&rdquo;, ressalta.</p> <p> A curadora acrescenta ainda que tanto a exposi&ccedil;&atilde;o fotogr&aacute;fica, quanto a exposi&ccedil;&atilde;o permanente, que apresenta as conquistas dos deficientes no Brasil, podem ser apreciadas por qualquer pessoa. &ldquo;Trabalhamos com desenho universal. Todas as pessoas que chegam neste espa&ccedil;o tem mobilidade. Se entra uma pessoa cega e que apreciar todos os pain&eacute;is, ela pode ir sozinha, porque tem o piso t&aacute;til&rdquo;, exemplifica. Al&eacute;m de serem de altura apropriada para cadeirantes, os pain&eacute;is do memorial contam com audiodescri&ccedil;&atilde;o e textos em braile.</p> <p> <em>Edi&ccedil;&atilde;o: Jos&eacute; Romildo</em></p> curadora deficiência exposição Fotos inclusão Nacional retratos Vidas em Cenas Sun, 10 Feb 2013 18:40:31 +0000 jose.romildo 713653 at https://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/