Mariana Rodrigues http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil/taxonomy/term/163355/all pt-br Centenas de pessoas participam da Caminhada Lésbica em São Paulo http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil/noticia/2013-06-01/centenas-de-pessoas-participam-da-caminhada-lesbica-em-sao-paulo <p>Elaine Patricia Cruz<br /> <em>Rep&oacute;rter da Ag&ecirc;ncia Brasil<br /> </em></p> <p> S&atilde;o Paulo &ndash; Centenas de pessoas participaram hoje (1&ordm;) da 11&ordf; Caminhada de L&eacute;sbicas e Bissexuais, que teve in&iacute;cio no v&atilde;o livre do Museu de Arte de S&atilde;o Paulo (Masp), na Avenida Paulista. Manifestantes empunhavam uma grande faixa com os dizeres &ldquo;O Estado brasileiro &eacute; laico&rdquo; e pedindo o fim da homofobia. A Pol&iacute;cia Militar estimou a presen&ccedil;a de 500 pessoas no in&iacute;cio da caminhada. A expectativa dos organizadores era atrair 1,5 mil pessoas.</p> <p> Os manifestantes fecharam tr&ecirc;s faixas da Avenida Paulista, sentido Para&iacute;so-Consola&ccedil;&atilde;o, e desceram a Rua Augusta at&eacute; a Pra&ccedil;a Roosevelt, no centro da capital, onde est&aacute; programada, para mais tarde, uma s&eacute;rie de <em>shows</em>.</p> <p> &ldquo;Esse &eacute; um evento pol&iacute;tico para trazer visibilidade &agrave; causa das mulheres l&eacute;sbicas e bissexuais&rdquo;, disse Mariana Rodrigues, da Liga Brasileira de L&eacute;sbicas e analista de rela&ccedil;&otilde;es internacionais, uma das organizadoras do evento.</p> <p> Segundo Mariana, uma das principais lutas do movimento ainda &eacute; o do direito &agrave; vida, &agrave; seguran&ccedil;a e &agrave; integridade do pr&oacute;prio corpo. &ldquo;A gente tem muito medo de andar na rua e ser espancada. As mulheres, principalmente, sofrem estupros corretivos para que &lsquo;possam deixar de ser l&eacute;sbicas&rsquo;. A integridade f&iacute;sica &eacute; o m&iacute;nimo e n&atilde;o &eacute; garantida. A viol&ecirc;ncia homof&oacute;bica tem crescido muito, comprovada por pesquisas e estat&iacute;sticas&rdquo;, disse em entrevista &agrave; <strong>Ag&ecirc;ncia Brasil</strong>.</p> <p> O casal Cristiane Eug&ecirc;nio e Ana Paula Maria do Carmo acompanhou o evento pela primeira vez. Casadas desde novembro do ano passado, elas relatam epis&oacute;dios de discrimina&ccedil;&atilde;o e contam que foram obrigadas a esconder o relacionamento por muito tempo, principalmente na igreja que frequentavam.</p> <p>&ldquo;J&aacute; sofremos preconceito. Ficamos nove anos em uma mesma igreja, mas l&aacute; n&atilde;o pod&iacute;amos nos assumir [homossexuais]&rdquo;, contou Cristiane. Hoje, elas frequentam um novo templo religioso que aceita as duas como casal. &ldquo;As pessoas precisam respeitar a orienta&ccedil;&atilde;o sexual que n&oacute;s temos e saber que isso n&atilde;o &eacute; um problema demon&iacute;aco e que tamb&eacute;m n&atilde;o &eacute; uma escolha: n&oacute;s nascemos assim e vamos ser assim&rdquo;, disse Cristiane.</p> <p>&nbsp;</p> <p><em>Edi&ccedil;&atilde;o: L&iacute;lian Beraldo</em></p> <p>&nbsp;</p> <p><em>Todo o conte&uacute;do deste site est&aacute; publicado sob a Licen&ccedil;a Creative Commons Atribui&ccedil;&atilde;o 3.0 Brasil. Para reproduzir o material &eacute; necess&aacute;rio apenas dar cr&eacute;dito &agrave; </em><strong><em>Ag&ecirc;ncia Brasil</em></strong></p> Caminhada de Lésbicas e Bissexuais Estado laico gays homofobia Liga Brasileira de Lésbicas manifestantes Mariana Rodrigues Nacional são paulo Sat, 01 Jun 2013 19:55:09 +0000 lilian.beraldo 722021 at http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil