capim dourado http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil/taxonomy/term/122437/all pt-br Entidade defende política pública para preservação do capim dourado http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil/noticia/2011-07-17/entidade-defende-politica-publica-para-preservacao-do-capim-dourado <p> Alana Gandra<br /> <em>Rep&oacute;rter da Ag&ecirc;ncia Brasil</em></p> <p> Rio de Janeiro - Embora o artesanato em capim dourado da regi&atilde;o do Jalap&atilde;o, no estado do Tocantins, seja o primeiro a receber a certifica&ccedil;&atilde;o de indica&ccedil;&atilde;o geogr&aacute;fica do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi), aprovada esta semana, o Instituto Sociedade, Popula&ccedil;&atilde;o e Natureza (ISPN) defende a necessidade de uma pol&iacute;tica p&uacute;blica que proteja a mat&eacute;ria-prima (capim dourado) com refor&ccedil;o da fiscaliza&ccedil;&atilde;o.</p> <p> O ISPN apoia o manejo do capim dourado junto com outras esp&eacute;cies vegetais, em parceria com a organiza&ccedil;&atilde;o n&atilde;o governamental (ONG) Pesquisa e Conserva&ccedil;&atilde;o do Cerrado (Pequi), que se dedica &agrave; realiza&ccedil;&atilde;o de pesquisas sobre a regi&atilde;o, al&eacute;m de organizar e participar de movimentos pela conserva&ccedil;&atilde;o do bioma do Jalap&atilde;o.</p> <p> A assessora t&eacute;cnica do ISPN, Isabel Figueiredo, disse &agrave; <strong>Ag&ecirc;ncia Brasil</strong> que apesar de existir uma portaria regional que d&aacute; as diretrizes para a colheita do capim dourado, a fiscaliza&ccedil;&atilde;o ainda &eacute; deficiente. &ldquo;A portaria j&aacute; foi um avan&ccedil;o&rdquo;, declarou.</p> <p> A portaria determina que o in&iacute;cio da colheita do capim dourado seja feito anualmente no dia 20 de setembro. O que ocorre, por&eacute;m, segundo Isabel Figueiredo, &eacute; que a mat&eacute;ria-prima acaba sendo colhida nos primeiros dias desse m&ecirc;s por pessoas que v&ecirc;m, inclusive, de outros estados e retiram da regi&atilde;o produto in natura, isto &eacute;, sem ser transformado em artesanato. O quilo do capim dourado tem valor estimado de R$ 80.</p> <p> Ela defendeu o estabelecimento de uma pol&iacute;tica p&uacute;blica estadual &ldquo;mais completa e mais complexa&rdquo;, para inibir essa forma de &ldquo;contrabando&rdquo; da mat&eacute;ria-prima, que prejudica os artes&atilde;os do Jalap&atilde;o e a economia do estado. Segundo a assessora do ISPN, o material acaba indo para cidades como Bras&iacute;lia, Palmas, Salvador e S&atilde;o Paulo, onde &eacute; transformado em artesanato. &ldquo;Tem um com&eacute;rcio, que &eacute; meio obscuro, de mat&eacute;ria-prima&rdquo;. De acordo com a legisla&ccedil;&atilde;o vigente, o artesanato deve sair pronto do Jalap&atilde;o, para valorizar o trabalho dos artes&atilde;os e gerar renda para as comunidades locais.</p> <p> Isabel Figueiredo ressaltou que se o Tocantins estabelecer uma pol&iacute;tica p&uacute;blica para o capim dourado, tornar-se-&aacute; pioneiro no pa&iacute;s. &ldquo;Porque tem uma das mat&eacute;rias-primas mais caras do Brasil, um dos produtos n&atilde;o madeireiros nativos mais valorizados. E poderia ser um exemplo para outros estados&rdquo;.</p> <p> O ISPN gerencia o Programa de Pequenos Projetos Ecossociais, do Fundo para o Meio Ambiente Internacional, da Organiza&ccedil;&atilde;o das Na&ccedil;&otilde;es Unidas, que j&aacute; apoiou v&aacute;rios projetos na regi&atilde;o do Jalap&atilde;o. Entre eles est&atilde;o inclu&iacute;dos projetos comunit&aacute;rios para melhoria das associa&ccedil;&otilde;es de artes&atilde;os e projetos da Pequi sobre pesquisas para o manejo do capim dourado.</p> <p> Isabel Figueiredo disse ainda que, com o desdobramento das atividades, foram lan&ccedil;adas cartilhas de manejo n&atilde;o s&oacute; do capim dourado, como do pequi, umbu, coquinho azedo, mangaba, entre outras esp&eacute;cies. &ldquo;Esse material foi muito divulgado no Jalap&atilde;o, porque tem v&aacute;rias comunidades que est&atilde;o come&ccedil;ando a fazer artesanato com capim dourado agora&rdquo;.</p> <p> <em>Edi&ccedil;&atilde;o: A&eacute;cio Amado</em></p> capim dourado Jalapão Nacional preservação Sun, 17 Jul 2011 16:47:50 +0000 aecioamado 674902 at http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil Artesanato com capim dourado do Jalapão ganha selo de indicação geográfica do Inpi http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil/noticia/2011-07-12/artesanato-com-capim-dourado-do-jalapao-ganha-selo-de-indicacao-geografica-do-inpi <p class="western" style="margin-bottom: 0cm;"> Alana Gandra<br /> Rep&oacute;rter da Ag&ecirc;ncia Brasil</p> <p> Rio de Janeiro - O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) aprovou hoje (12) o primeiro pedido de indica&ccedil;&atilde;o geogr&aacute;fica (IG) de artesanato brasileiro, referente a trabalhos manuais confeccionados em capim dourado na regi&atilde;o do Jalap&atilde;o, no Tocantins. O reconhecimento &eacute; na categoria indica&ccedil;&atilde;o de proced&ecirc;ncia (IP), que delimita uma &aacute;rea conhecida pela fabrica&ccedil;&atilde;o de certos produtos, mas sem rela&ccedil;&atilde;o direta com o meio.</p> <p> A coordenadora-geral substituta de Indica&ccedil;&atilde;o Geogr&aacute;fica e Registros do Inpi, L&uacute;cia Regina Fernandes, disse &agrave; <strong><span style="font-weight: normal;">Ag&ecirc;ncia Brasil</span></strong> que esse foi tamb&eacute;m o primeiro pedido aprovado no Norte do pa&iacute;s. O pedido de certifica&ccedil;&atilde;o do artesanato local foi apresentado ao instituto, em 2009, pela Associa&ccedil;&atilde;o de Artes&atilde;os em Capim Dourado da Regi&atilde;o do Jalap&atilde;o (Areja).</p> <p> S&atilde;o concedidas normalmente pelo Inpi duas esp&eacute;cies de indica&ccedil;&atilde;o geogr&aacute;fica: indica&ccedil;&atilde;o de proced&ecirc;ncia e denomina&ccedil;&atilde;o de origem (DO). L&uacute;cia Fernandes declarou ainda que at&eacute; o momento a &uacute;nica denomina&ccedil;&atilde;o de origem brasileira &eacute; o litoral norte ga&uacute;cho, regi&atilde;o famosa pela produ&ccedil;&atilde;o de arroz. A certifica&ccedil;&atilde;o foi entregue em agosto do ano passado e reconhece produtos cujas caracter&iacute;sticas se devem ao meio geogr&aacute;fico.</p> <p> Os artes&atilde;os do Jalap&atilde;o t&ecirc;m agora prazo de 60 dias para efetuar o pagamento de taxa no Inpi, a fim de que a certifica&ccedil;&atilde;o comece a valer. L&uacute;cia Fernandes destacou a import&acirc;ncia dessa esp&eacute;cie de selo para o artesanato local. &ldquo;&Eacute; o reconhecimento de uma reputa&ccedil;&atilde;o da &aacute;rea delimitada para artesanato em capim dourado&rdquo;.</p> <p> Segundo analisou, o artesanato em capim dourado do Jalap&atilde;o passa a ser mais valorizado a partir de agora. &ldquo;Tem estudos na Europa de que produtos com indica&ccedil;&atilde;o geogr&aacute;fica t&ecirc;m um <em><span style="font-weight: normal;">plus</span></em> [melhoria] no pre&ccedil;o. &Eacute; quest&atilde;o tamb&eacute;m de um maior desenvolvimento local, maior fluxo de turistas&rdquo;.</p> <p> No Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul, onde a produ&ccedil;&atilde;o de vinhos conseguiu em 2002 a indica&ccedil;&atilde;o geogr&aacute;fica do Inpi, o turismo aumentou cerca de 300% entre 2006 e 2010, disse. &ldquo;E deve ser o que vai ocorrer l&aacute; [no Jalap&atilde;o], com eles&rdquo;, estimou L&uacute;cia Fernandes.</p> <p> Estudo socioecon&ocirc;mico feito em 2008 pelo Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), ligado ao governo estadual, mostra que a atividade &eacute; considerada por 90,7% das fam&iacute;lias que trabalham com artesanato em capim dourado como uma fonte de gera&ccedil;&atilde;o de renda. Para 98,6%, a atividade artesanal permite o pagamento de contas e a aquisi&ccedil;&atilde;o de bens de consumo dur&aacute;veis.</p> <p> A import&acirc;ncia do artesanato em capim dourado na economia local &eacute; refor&ccedil;ada pelo fato de 38,6% desses produtos serem vendidos para turistas, 23,9% comercializados nas lojas das associa&ccedil;&otilde;es de artes&atilde;o e 14,8% em feiras nacionais ou estaduais.</p> <p> O deferimento da indica&ccedil;&atilde;o geogr&aacute;fica pelo Inpi reconhece oficialmente o Jalap&atilde;o como centro produtor da arte em capim dourado, criando um diferencial que vai ampliar a competitividade e a qualidade das pe&ccedil;as fabricadas.</p> <p class="western" style="margin-bottom: 0cm;"> &nbsp;</p> <p class="western" style="margin-bottom: 0cm;"> <em>Edi&ccedil;&atilde;o: A&eacute;cio Amado // Mat&eacute;ria alterada para corre&ccedil;&atilde;o de informa&ccedil;&atilde;o</em></p> capim dourado Economia Inpi Jalapão Selo Tue, 12 Jul 2011 20:49:39 +0000 aecioamado 674620 at http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil