Justiça do Egito condena à revelia mais um colaborador de Mubarak

25/06/2011 - 12h59

Da Agência Lusa

Brasília – A Justiça do Egito condenou hoje (25) à revelia o ex-ministro do Comércio e Indústria do Egito Rachid Mohamed Rachid. Ele recebeu uma pena de cinco anos de prisão por desvio de fundos públicos. O Tribunal Penal do Cairo considerou Rachid culpado por desvio de fundos da Caixa de Desenvolvimento das Exportações.

O ex-ministro é procurado pela Interpol (polícia internacional). No ano passado, Rachid foi condenado por desviar cerca de 1 milhão de euros. Rachid fugiu do país logo depois que o então presidente Hosni Mubarak renunciou, em fevereiro deste ano. No começo deste mês, o ex-ministro das Finanças Yussef Boutros Ghali, também procurado pela Interpol, foi condenado à revelia a 30 anos de prisão por corrupção.

Vários empresários e ex-colaboradores do regime Mubarak são alvo de inquéritos ou de processos por enriquecimento ilícito e corrupção. O ex-presidente e dois de seus filhos também vão ser julgados, no início de agosto, por enriquecimento ilícito e responsabilidade na morte de manifestantes durante os protestos em defesa da renúncia de Mubarak.

Ele aguarda julgamento em um hospital da cidade turística de Sharm El Sheij perto do Mar Vermelho. Hoje cerca de 300 opositores de Mubarak ocuparam a frente do hospital e lançaram pedras. Eles pediam a transferência do ex-presidente para um presídio.

Mubarak, de 83 anos, sofre de câncer no abdômen, segundo seus advogados. No ano passado, ele fez uma cirurgia para retirar um tumor maligno na vesícula, no hospital alemão de Heideberg.