Brasil Telecom entra com representação contra Daniel Dantas

12/12/2005 - 20h25

Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil

Rio – A empresa de telefonia Brasil Telecom entrou hoje (12) com representação na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) contra o ex-controlador da companhia, Daniel Dantas. A Brasil Telecom acusa Dantas de ter usado irregularmente R$ 361 milhões da empresa.

A empresa "pagava de forma irregular diversas despesas do Opportunity, sem o conhecimento e a aprovação dos acionistas", afirma a nota da assessoria de imprensa da Brasil Telecom. Ainda segundo a assessoria, a denúncia foi feita após investigações efetuadas pela companhia.

"Daniel Dantas, seus parentes e assessores também foram diretamente beneficiados na contratação de fornecedores e prestadores de serviços, sempre em detrimento dos interesses da Brasil Telecom e dos seus acionistas". O texto afirma ainda que, "adicionalmente, o Opportunity usou recursos da Brasil Telecom para criar lucros exclusivamente para si, enquanto a BrT suportava todos os riscos".

Dantas controlou a empresa até dia 30 de setembro, quando foi destituído pelo conselho administrativo da companhia. Mesmo sem a maioria das ações da empresa, o banco Opportunity, de propriedade de Dantas, detinha o controle da Brasil Telecom, operadora de telefonia fixa de parte das regiões Norte, Sul e Centro-Oeste do país.

Por acordos firmados na época da privatização da Telebrás, em 1997, o banco comandava o fundo Opportunity Zain Participações – que controla, indiretamente, a Brasil Telecom. Os acordos permitiam que o banco controlasse duas partes do fundo Zain: CVC Nacional – em que os fundos de pensão cediam o controle ao Opportunity – e CVC Estrangeiro – em que a direção foi cedida pelo Citibank.

Os fundos de pensão do CVC Nacioinal conseguiram rever o acordo e destituíram Dantas do controle do grupo. No início do ano, foi a vez do Citibank fazer o mesmo no CVC Estrangeiro. Com as duas destituições, os fundos de pensão e o Citibank só tiveram de esperar os prazos definidos pela Lei de Sociedades Anônimas (S.A.) para tirar o Opportunity do comando da Brasil Telecom.

Sérgio Rosa, presidente da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ), afirma que a saída de Dantas do controle da Brasil Telecom "reflete a real situação societária" da empresa.