Programa Coleta Seletiva Solidária http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/taxonomy/term/180230/all pt-br Minc promete que estado do Rio vai cumprir a lei e acabar com lixões até 2014 http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticia/2013-12-13/minc-promete-que-estado-do-rio-vai-cumprir-lei-e-acabar-com-lixoes-ate-2014 <p style="margin-bottom: 0cm"><i>Da Ag&ecirc;ncia Brasil </i></p> <p> Rio de Janeiro &ndash; O secret&aacute;rio do Ambiente do Rio de Janeiro, Carlos Minc, disse hoje (13) que o estado deve ser o primeiro do pa&iacute;s a acabar com os lix&otilde;es, o que est&aacute; previsto para ocorrer no pr&oacute;ximo ano. Ele apresentou, nesta sexta-feira, o balan&ccedil;o de 2013 do Programa Coleta Seletiva Solid&aacute;ria, da Secretaria de Estado do Ambiente, que reuniu cerca de 180 pessoas, entre representantes de prefeituras, cooperativas de catadores de lixo e agentes ambientais.</p> <p style="margin-bottom: 0cm">&ldquo;Em 2014 vamos acabar com todos os lix&otilde;es do estado. Talvez seremos o primeiro estado do Brasil a cumprir a lei, segundo a ministra [do Meio Ambiente] Izabella Teixeira&rdquo;, adiantou Minc. Segundo ele, no entorno da Ba&iacute;a de Guanabara j&aacute; foram fechados todos os grandes lix&otilde;es, citando Itaoca, em S&atilde;o Gon&ccedil;alo, na regi&atilde;o metropolitana; e Babi, em Belford Roxo, e Gramacho, em Caxias, ambos na Baixada Fluminense. &ldquo;Em mat&eacute;ria de lix&atilde;o, em seis anos, invertemos de 90% do lixo em lix&otilde;es para 10%, e os 10% de lixo em aterros, para 90%&rdquo;, assegurou</p> <p style="margin-bottom: 0cm">De acordo com ele, o Rio de Janeiro deu um grande salto com o fechamento dos lix&otilde;es e a abertura de aterros sanit&aacute;rios para substitu&iacute;-los. No entanto, como ocorre segundo ele em todo o Brasil, est&aacute; atrasado na coleta seletiva e na reciclagem. &ldquo;Do ponto de vista da reciclagem, nesses mesmos anos, passamos de 1% de coleta seletiva domiciliar para 3%. Ou seja, 95% das resid&ecirc;ncias ainda n&atilde;o fazem a separa&ccedil;&atilde;o e a coleta seletiva&rdquo;, admitiu Minc.</p> <p> Durante o evento, foram avaliadas duas estrat&eacute;gias para solucionar o problema da coleta seletiva e reciclagem no estado. A primeira sugest&atilde;o da secretaria &eacute; apoiar os munic&iacute;pios a organizarem a coleta seletiva, dividindo as cidades por bairros, fazendo galp&otilde;es, organizando a distribui&ccedil;&atilde;o de material reciclado para as cooperativas e conseguindo transportes.</p> <p style="margin-bottom: 0cm">A outra proposta &eacute; apoiar as cooperativas, qualificando os catadores, em parceria com o Servi&ccedil;o Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Minist&eacute;rio do Trabalho, por&eacute;m com recursos e orienta&ccedil;&atilde;o do &oacute;rg&atilde;o estadual. Al&eacute;m disso, a secretaria disponibilizaria &agrave;s cooperativas instrumentos, como compactadores e esteiras.</p> <p> No encontro, tamb&eacute;m foi abordada a hip&oacute;tese das licen&ccedil;as estaduais e municipais concedidas &agrave;s empresas agregarem uma condicionante ambiental. Nele, as empresas entregariam seu lixo recicl&aacute;vel &agrave;s cooperativas de catadores, j&aacute; que esse insumo &eacute; vital para a categoria.</p> <p> O Programa Coleta Seletiva Solid&aacute;ria foi criado em 2011, a fim de assessorar os munic&iacute;pios fluminenses na elabora&ccedil;&atilde;o, implanta&ccedil;&atilde;o e acompanhamento da coleta seletiva, valorizando a categoria dos catadores de materiais recicl&aacute;veis. Ao longo desses dois anos, a Secretaria de Estado do Ambiente apoiou a&ccedil;&otilde;es em 60 prefeituras, qualificando mais de 60 cooperativas de catadores.</p> <p> &ldquo;Essas a&ccedil;&otilde;es est&atilde;o em curso, mas vimos que &eacute; necess&aacute;rio um maior volume de recursos, mais setores das prefeituras envolvidos, orientar as empresas para que forne&ccedil;am seu res&iacute;duo limpo. Essas medidas v&atilde;o impulsionar para que o resultado da reciclagem atinja outra escala&rdquo;, explicou Carlos Minc.</p> <p style="margin-bottom: 0cm">Pela Lei 12.305, que institui a Pol&iacute;tica Nacional de Res&iacute;duos S&oacute;lidos, ap&oacute;s 2014 o Brasil n&atilde;o poder&aacute; mais ter lix&otilde;es, que ser&atilde;o substitu&iacute;dos pelos aterros sanit&aacute;rios. Al&eacute;m disso, os res&iacute;duos recicl&aacute;veis n&atilde;o poder&atilde;o ser enviados para os aterros sanit&aacute;rios e os munic&iacute;pios que desrespeitarem a norma podem ser multados.</p> <p style="margin-bottom: 0cm"><i>Edi&ccedil;&atilde;o: Davi Oliveira</i></p> <p style="margin-bottom: 0cm"><em>Todo o conte&uacute;do deste site est&aacute; publicado sob a Licen&ccedil;a Creative Commons Atribui&ccedil;&atilde;o 3.0 Brasil. Para reproduzir as mat&eacute;rias, &eacute; necess&aacute;rio apenas dar cr&eacute;dito &agrave; </em><strong>Ag&ecirc;ncia Brasil</strong></p> aterros sanitários balanço 2013 Carlos Minc coleta seletiva cooperativas de catadores fechamento dos lixões Meio Ambiente prazo do Rio prazo legal Programa Coleta Seletiva Solidária reciclagem secretaria de estado do ambiente Fri, 13 Dec 2013 19:02:53 +0000 davi.oliveira 736544 at http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil