Campanha do Aleitamento 2013 http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/taxonomy/term/169908/all pt-br Mães terão maior apoio no período da amamentação http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticia/2013-08-01/maes-terao-maior-apoio-no-periodo-da-amamentacao <p><img alt="" src="http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil/sites/_agenciabrasil/files/imagecache/300x225/gallery_assist/3/gallery_assist638692/prev/0830GB001.jpg" style="margin: 8px; width: 300px; float: right; height: 225px" />Carolina Sarres<br /> <em>Rep&oacute;rter da Ag&ecirc;ncia Brasil </em></p> <p>Bras&iacute;lia &ndash; O Minist&eacute;rio da Sa&uacute;de quer ampliar o apoio &agrave;s m&atilde;es no per&iacute;odo de amamenta&ccedil;&atilde;o em unidades de sa&uacute;de, hospitais e bancos de leite. Hoje (1&ordm;), os governos de mais de 170 pa&iacute;ses promovem atividades para comemorar a Semana Mundial do Aleitamento Materno. No Brasil, foi lan&ccedil;ada a Campanha do Aleitamento 2013, com o tema T&atilde;o Importante Quanto Amamentar Seu Beb&ecirc;, &Eacute; Ter Algu&eacute;m Que Escute Voc&ecirc;. O objetivo &eacute; enfatizar aos profissionais de sa&uacute;de a necessidade de um atendimento especial &agrave;s mulheres em per&iacute;odo de amamenta&ccedil;&atilde;o. Um fato que merece aten&ccedil;&atilde;o &eacute; que, por falta de informa&ccedil;&atilde;o, muitas m&atilde;es abrem m&atilde;o do<a href="http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-08-01/falta-de-informacao-prejudica-aleitamento-materno"> aleitamento</a>, que &eacute; a &uacute;nica forma recomendada para beb&ecirc;s at&eacute; os&nbsp;6 meses de idade.</p> <p>Para o coordenador da &aacute;rea de Sa&uacute;de da Crian&ccedil;a e Aleitamento Materno do Minist&eacute;rio da Sa&uacute;de, Paulo Bonilha, a mulher precisa de apoio para ter sucesso no aleitamento, especialmente em casos nos quais a m&atilde;e est&aacute; ansiosa, tem d&uacute;vidas e dificuldades em rela&ccedil;&atilde;o &agrave; alimenta&ccedil;&atilde;o do beb&ecirc;. Esse apoio, segundo ele, deve vir tanto do companheiro, quanto da fam&iacute;lia e de profissionais de sa&uacute;de.</p> <p>&quot;A mulher pode ter ansiedade, d&uacute;vida ou dificuldade em rela&ccedil;&atilde;o ao aleitamento &ndash; se [a quantidade]&nbsp;est&aacute; sendo suficiente para alimentar seu filho, em casos de rachaduras dos mamilos ou leite empedrado. Se o apoio &agrave; amamenta&ccedil;&atilde;o n&atilde;o acontece no momento oportuno, a mulher pode desistir. &Eacute; preciso que o acesso &agrave; informa&ccedil;&atilde;o no &acirc;mbito das unidades do Sistema &Uacute;nico de Sa&uacute;de (SUS) n&atilde;o seja burocratizado. &Eacute; errado exigir que se agende uma consulta para isso&quot;, informou Bonilha.</p> <p>De acordo com representante do Minist&eacute;rio da Sa&uacute;de, estima-se que 41% das mulheres amamentem seus beb&ecirc;s at&eacute; os primeiros seis meses. &quot;O nosso objetivo &eacute; que consigamos avan&ccedil;ar nessa &aacute;rea. Temos a expectativa de que, no ano que vem, quando vamos fazer uma pesquisa nacional sobre preval&ecirc;ncia do aleitamento, possamos ter avan&ccedil;ado ainda mais&quot;, disse.</p> <p>O Brasil tem a maior rede de bancos de leite do mundo, com 210 unidades e 117 postos de coleta. Por ano, s&atilde;o coletados em m&eacute;dia 166 mil litros de leite humano que beneficiam, aproximadamente, 170 mil rec&eacute;m-nascidos, segundo dados do Minist&eacute;rio da Sa&uacute;de. A expectativa &eacute; que, este ano, o governo invista R$ 7 milh&otilde;es nos bancos de leite.</p> <p>O pesquisador da Funda&ccedil;&atilde;o Oswaldo Cruz e coordenador da rede brasileira de aleitamento, Jo&atilde;o Aprijo, pede que as mulheres busquem apoio de um profissional antes de tomar a decis&atilde;o de parar de amamentar seu beb&ecirc;. De acordo com ele, em 2012, mais de 2,6 milh&otilde;es de mulheres conseguiram seguir amamentando devido a a&ccedil;&otilde;es assistenciais.</p> <p>&quot;Quando nos falamos de amamenta&ccedil;&atilde;o, sempre lembramos da crian&ccedil;a. Mas &eacute; bom lembrar que o verdadeiro protagonista &eacute; a mulher. Apesar de muita gente dizer que [amamentar] &eacute; um ato natural, instintivo e biol&oacute;gico, &eacute; mais ou menos. &Eacute; bom lembrar que a mulher est&aacute; em um momento de grande vulnerabilidade, com sentimentos amb&iacute;guos e contradit&oacute;rios o tempo inteiro. Essa mulher tem d&uacute;vidas, e ela tem todo o direito de ter&quot;, explicou Aprijo.</p> <p>&nbsp;</p> <p> <em>Edi&ccedil;&atilde;o: Beto Coura<br /> Todo o conte&uacute;do deste site est&aacute; publicado sob a Licen&ccedil;a Creative Commons Atribui&ccedil;&atilde;o 3.0 Brasil. Para reproduzir as mat&eacute;rias &eacute; necess&aacute;rio apenas dar cr&eacute;dito &agrave; <strong>Ag&ecirc;ncia Brasil</strong></em></p> aleitamento amamentação Campanha do Aleitamento 2013 Fundação Oswaldo Cruz ministério da saúde Paulo Bonilha Saúde Semana Mundial do Aleitamento Materno Sistema Único de Saúde sus Thu, 01 Aug 2013 19:43:31 +0000 alberto.coura 727118 at http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil