militante político http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/taxonomy/term/137934/all pt-br Estado do Rio demora em pagar indenização a ex-presos políticos, relata Fórum de Reparação http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticia/2012-07-12/estado-do-rio-demora-em-pagar-indenizacao-ex-presos-politicos-relata-forum-de-reparacao <p> Isabela Vieira<br /> <em>Rep&oacute;rter da Ag&ecirc;ncia Brasil</em></p> <p> Rio de Janeiro - A ex-militante pol&iacute;tica V&acirc;nia Amoretty Abrantes&nbsp;cobrou hoje (11) que o estado do Rio de Janeiro acelere o pagamento das indeniza&ccedil;&otilde;es a ex-presos pol&iacute;ticos. &quot;Est&aacute; uma dificuldade louca. O governo protela at&eacute; o fim&quot;, disse V&acirc;nia Abrantes, integrante do F&oacute;rum de Repara&ccedil;&atilde;o do Rio - criado para auxiliar pessoas a entrar com os processos &nbsp;na Comiss&atilde;o de Repara&ccedil;&atilde;o fluminense.</p> <p> Segundo a ativista, apesar de o n&uacute;mero de casos ser considerado baixo (1.115), cerca de 200 ainda n&atilde;o foram liquidados pela Comiss&atilde;o de Repara&ccedil;&atilde;o do estado, desde 2001. O n&uacute;mero do f&oacute;rum, no entanto, &eacute; contestado pelo governo. Em nota, a Secretaria de Direitos Humanos informa que &quot;todos &nbsp;receber&atilde;o, de acordo com a disponibilidade do or&ccedil;amento, at&eacute; 2014&quot;.</p> <p> V&acirc;nia Abrantes soube hoje que foi beneficiada por decis&atilde;o da Justi&ccedil;a do Rio, que condenou o estado de S&atilde;o Paulo em R$ 20 mil por danos morais, reparando a ex-militante&nbsp;por ter sido presa por engano em 2003 com base em um mandado de pris&atilde;o expedido pelo regime militar. <a href="http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil/../../noticia/2012-07-12/estado-de-sao-paulo-condenado-indenizar-ex-militante-presa-em-2003-apesar-de-beneficiada-pela-lei-da-">Ela disse que a condena&ccedil;&atilde;o foi mais uma forma de denunciar viola&ccedil;&otilde;es de direitos humanos na ditadura.</a></p> <p> Por meio da Secretaria de Assist&ecirc;ncia Social e Direitos Humanos, o governo do Rio concede R$ 20 mil aos ativistas que foram presos e torturados por serem contra&nbsp;o regime militar entre 1&ordm; de abril de 1964 e 15 de agosto de 1979. S&oacute; s&atilde;o beneficiados aqueles que ficaram presos no Rio e passaram por &oacute;rg&atilde;os como o Destacamento de Opera&ccedil;&otilde;es de Informa&ccedil;&otilde;es - Centro de Opera&ccedil;&otilde;es de Defesa Interna (DOI-Codi).</p> <p> Apesar do atraso no pagamento, estipulado em lei de 2001, a ex-militante V&acirc;nia Amorretty, hoje ge&oacute;grafa aposentada, avalia que a comiss&atilde;o &eacute; uma conquista. Como os arquivos da ditadura permanecem fechados, por meio das comiss&otilde;es da verdade, ela acredita que as v&iacute;timas e as fam&iacute;lias podem &nbsp;apontar os torturadores e registrar oficialmente os abusos do regime.</p> <p> &quot;Uma coisa dessa gravidade n&atilde;o se repara nunca. As marcas que ficam s&atilde;o uma coisa terr&iacute;vel. Mas como n&atilde;o se abrem os arquivos da ditadura, estamos criando arquivos &nbsp;paralelos&quot;, afirmou. &quot;S&atilde;o poucos, mas neles constam as circunst&acirc;ncias de como cada um foi preso, como foi torturado, quais foram os torturadores, isso para aqueles que conseguem falar&quot;, completou V&acirc;nia.</p> <p> Al&eacute;m da ge&oacute;grafa, est&atilde;o na lista de repara&ccedil;&otilde;es no Rio a presidenta da Rep&uacute;blica Dilma Rousseff e a &nbsp;presidente da Comiss&atilde;o de Mortos e Desaparecidos Pol&iacute;ticos de S&atilde;o Paulo, Crim&eacute;ia Almeida. Esta &uacute;ltima, ex-guerrilheira do Araguaia (TO),&nbsp;n&atilde;o foi poupada pelo torturadores mesmo gr&aacute;vida oito meses.</p> <p> Hoje (12) o Grupo Tortura Nunca Mais divulgou &nbsp;nota denunciando amea&ccedil;a por meio de uma liga&ccedil;&atilde;o telef&ocirc;nica an&ocirc;nima. Em nota, a entidade fundada por ex-presos pol&iacute;ticos e que atua h&aacute; 27 anos para esclarecer circunst&acirc;ncias de morte e de desaparecimento de militantes pol&iacute;ticos, condenou o ataque e culpou &quot;for&ccedil;as retr&oacute;gradas e saudosistas&quot; da ditadura.</p> <p> &quot;&Eacute; uma forma de amedrontar, mas n&atilde;o faz com que a gente retroceda&quot;, disse a representante da organiza&ccedil;&atilde;o, Cec&iacute;lia Coimbra.</p> <p> &quot;Continuaremos a defender os avan&ccedil;os, ainda que pequenos, da Comiss&atilde;o Nacional da Verdade e a abertura dos arquivos da ditadura&quot;, acrescentou a ativista, que aguarda, conjuntamente com seu marido, Jos&eacute; Novaes, &nbsp;a repara&ccedil;&atilde;o devida pelo estado do Rio de Janeiro.</p> <p> <em>Edi&ccedil;&atilde;o: Davi Oliveira</em></p> Cidadania Comissão da Verdade Comissão de Reparação Fórum de Reparação do Rio indenização militante político Nacional Política preso político Thu, 12 Jul 2012 22:07:21 +0000 davi.oliveira 699046 at http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil