Ana Rocha http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil/taxonomy/term/178687/all pt-br Rio faz campanha de combate à violência contra a mulher http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil/noticia/2013-11-23/rio-faz-campanha-de-combate-violencia-contra-mulher <p>Fl&aacute;via Villela<br /> <em>Rep&oacute;rter da Ag&ecirc;ncia Brasil *</em></p> <p>Rio de Janeiro &ndash; Um mutir&atilde;o de servi&ccedil;os sociais no Parque de Madureira, zona norte do Rio, hoje (23), marcou a entrada da prefeitura do Rio na campanha internacional &quot;16 dias de ativismo pelo fim da viol&ecirc;ncia contra as mulheres&quot;. Equipes da Delegacia de Atendimento &agrave; Mulher, do Minist&eacute;rio P&uacute;blico, da Defensoria P&uacute;blica, do Tribunal de Justi&ccedil;a e de secretarias municipais tiraram d&uacute;vidas sobre as pol&iacute;ticas p&uacute;blicas para a mulher em situa&ccedil;&atilde;o de viol&ecirc;ncia.</p> <p>Segundo a secret&aacute;ria especial de Pol&iacute;ticas para a Mulher da Prefeitura do Rio, Ana Rocha, a Lei Maria da Penha impulsionou o aumento de den&uacute;ncias. &ldquo;As medidas protetivas e o disque 180, criaram melhores condi&ccedil;&otilde;es para a den&uacute;ncia&rdquo;, comentou. Para ela, a fonte de viol&ecirc;ncia contra a mulher &eacute; o machismo. &ldquo;&Eacute; a vis&atilde;o de que a mulher &eacute; propriedade do homem. As pesquisas mostram que muitos casos de viol&ecirc;ncia contra a mulher ocorrem ap&oacute;s o rompimento do relacionamento&rdquo;, contou ela.</p> <p>A professora C&eacute;lia de Almeida acredita que s&oacute; a educa&ccedil;&atilde;o pode reduzir a viol&ecirc;ncia contra a mulher. &ldquo;A campanha tem car&aacute;ter educativo. &Eacute; alcan&ccedil;ar desde a criancinha os adolescentes, abranger os diversos segmentos da sociedade. &Eacute; algo cultural que precisa ser trabalhado de forma educativa&rdquo;.</p> <p>A campanha &quot;16 Dias de ativismo pelo fim da viol&ecirc;ncia contra as mulheres&quot; foi criada em 1991 por 23 feministas de diferentes pa&iacute;ses, reunidas pelo Centro de Lideran&ccedil;a Global de Mulheres nos Estados Unidos.</p> <p>Atualmente, a campanha ocorre em 159 pa&iacute;ses. Vai do dia 25 de novembro (Dia Internacional da N&atilde;o Viol&ecirc;ncia contra as Mulheres) a&nbsp;10 de dezembro (Dia Internacional dos Direitos Humanos). No Brasil, a campanha come&ccedil;ou no dia 20 de novembro (Dia Nacional da Consci&ecirc;ncia Negra) para destacar a dupla discrimina&ccedil;&atilde;o sofrida pelas mulheres negras.</p> <p>O <em>Dossi&ecirc; Mulher,</em> elaborado pelo Instituto de Seguran&ccedil;a P&uacute;blica, da Secretaria de Seguran&ccedil;a, aponta a mulheres fluminenses como as maiores v&iacute;timas dos crimes de estupro (82,8%), tentativa de estupro (94,9%), cal&uacute;nia, inj&uacute;ria e difama&ccedil;&atilde;o (72,4%), amea&ccedil;a (66,7%), les&atilde;o corporal dolosa (65,3%) e constrangimento ilegal (56,6%). O relat&oacute;rio, baseado em registros da Pol&iacute;cia Civil durante 2012, aponta que grande parte dos delitos ocorreu no ambiente familiar.</p> <p>*Colaborou o rep&oacute;rter Dylan Ara&uacute;jo, da <strong>R&aacute;dio Nacional do Rio</strong></p> <p>&nbsp;</p> <p><em>Edi&ccedil;&atilde;o: Beto Coura<br /> Todo o conte&uacute;do deste site est&aacute; publicado sob a Licen&ccedil;a Creative Commons Atribui&ccedil;&atilde;o 3.0 Brasil. Para reproduzir as mat&eacute;rias &eacute; necess&aacute;rio apenas dar cr&eacute;dito &agrave; <strong>Ag&ecirc;ncia Brasil</strong></em></p> 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres Ana Rocha Célia de Almeida Centro de Liderança Global de Mulheres Lei Maria da Penha Nacional violência contra a mulher Sat, 23 Nov 2013 19:03:52 +0000 alberto.coura 734971 at http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil