Landell de Moura http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil/taxonomy/term/153729/all pt-br Atualizada - Invenção que pode ser atribuída a um brasileiro, rádio se integra às novas tecnologias http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil/noticia/2013-02-13/atualizada-invencao-que-pode-ser-atribuida-um-brasileiro-radio-se-integra-novas-tecnologias <p> Paulo Virgilio<br /> <em>Rep&oacute;rter da Ag&ecirc;ncia Brasil</em></p> <p> Bras&iacute;lia - Atribu&iacute;da comumente ao italiano Guglielmo Marconi, a paternidade do r&aacute;dio - cujo dia mundial &eacute; comemorado hoje (13) - &eacute; motivo de pol&ecirc;mica. A exemplo do que ocorreu com outras grandes inven&ccedil;&otilde;es, ela foi fruto de uma sucess&atilde;o de descobertas e tentativas, que, na &eacute;poca, nem sempre alcan&ccedil;aram a devida repercuss&atilde;o. Esse foi o caso do padre ga&uacute;cho Roberto Landell de Moura (1861-1928), um pioneiro que o Brasil hoje come&ccedil;a a reconhecer e que antecedeu em dois anos &agrave; experimenta&ccedil;&atilde;o de Marconi, datada de 1895. &nbsp;</p> <p> Alguns anos antes, em 1873, o f&iacute;sico brit&acirc;nico James Maxwell havia constatado a exist&ecirc;ncia de ondas eletromagn&eacute;ticas que se propagavam pelo espa&ccedil;o. Em 1887, o f&iacute;sico alem&atilde;o Heinrich Hertz, a partir da hip&oacute;tese de Maxwell, conseguiu fazer a transmiss&atilde;o e a recep&ccedil;&atilde;o de ondas eletromagn&eacute;ticas, ainda que com equipamentos colocados a poucos metros de dist&acirc;ncia um do outro.</p> <p> De acordo com o jornalista e escritor Hamilton Almeida, autor de quatro livros sobre o tema, h&aacute; ind&iacute;cios de que Landell de Moura fez suas experi&ecirc;ncias pioneiras de transmiss&atilde;o da voz humana de 1893 a 1894, em S&atilde;o Paulo, cobrindo uma dist&acirc;ncia de 8 quil&ocirc;metros. &ldquo;Tais experi&ecirc;ncias aconteceram entre dois locais altos da cidade, a Avenida Paulista e o p&aacute;tio do Col&eacute;gio Santana, ainda existente&rdquo;, diz Hamilton Almeida. &ldquo;O fato &eacute; que Landell inventou o r&aacute;dio porque transmitiu a voz &ndash; se dizia radiotelefonia, na &eacute;poca &ndash; enquanto Marconi inventou a telegrafia sem fio [radiotelegrafia] e n&atilde;o o r&aacute;dio como o conhecemos&rdquo;, explica.</p> <p> O padre Landell de Moura tamb&eacute;m aperfei&ccedil;oou a j&aacute; existente inven&ccedil;&atilde;o do tel&eacute;grafo sem fio, conforme atesta patente obtida nos Estados Unidos, em 1904. Hamilton Almeida destaca a preocupa&ccedil;&atilde;o de Landell de patentear seus inventos. &ldquo;Ele tamb&eacute;m obteve nos EUA uma patente intitulada <em>wireless telephon</em>, que se refere &agrave; transmiss&atilde;o de mensagens sem fio atrav&eacute;s de um feixe luminoso, o mesmo princ&iacute;pio das fibras &oacute;pticas, desenvolvidas a partir dos anos 1980, e no Brasil, em 1901, conseguiu a patente que pode ser considerada a certid&atilde;o de nascimento do r&aacute;dio no mundo&rdquo;, relata.</p> <p> Para o radialista Cristiano Menezes, gerente-geral das r&aacute;dios da<strong> Empresa Brasil de Comunica&ccedil;&atilde;o (EBC)</strong> no Rio de Janeiro, &ldquo;Landell era um sacerdote, uma pessoa recatada, e talvez por isto foi posto de escanteio, &agrave; margem desse processo, enquanto o Marconi, um europeu, um acad&ecirc;mico, conseguiu repercuss&atilde;o para o seu invento e ficou na hist&oacute;ria como o criador do r&aacute;dio&rdquo;, disse. Juntamente com o veterano radioator e apresentador Gerdal dos Santos e o jornalista Luis Augusto Gollo, Cristiano Menezes participou do programa especial sobre o Dia Mundial do R&aacute;dio que as emissoras da <strong>EBC</strong> veicularam nesta quarta-feira (13).</p> <p> J&aacute; como meio de comunica&ccedil;&atilde;o, e n&atilde;o mais apenas como invento, o r&aacute;dio chega ao Brasil em 1922, pelas m&atilde;os do cientista e educador Edgard Roquette Pinto. Ele faz a primeira transmiss&atilde;o no dia 7 de setembro daquele ano, durante a inaugura&ccedil;&atilde;o da exposi&ccedil;&atilde;o internacional comemorativa do Centen&aacute;rio da Independ&ecirc;ncia. Menos de um ano depois, em 20 de abril de 1923, entrava no ar a primeira emissora, a R&aacute;dio Sociedade do Rio de Janeiro, hoje R&aacute;dio MEC, uma das emissoras da <strong>EBC</strong>.</p> <p> Mais de um s&eacute;culo ap&oacute;s sua inven&ccedil;&atilde;o, o r&aacute;dio demonstra uma imensa capacidade de renova&ccedil;&atilde;o e adapta&ccedil;&atilde;o &agrave;s novas tecnologias, como destaca a professora Sonia Virginia Moreira, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), autora de livros sobre a hist&oacute;ria do ve&iacute;culo. Para ela, o r&aacute;dio &eacute; sempre aberto, democr&aacute;tico e sens&iacute;vel a todas as transforma&ccedil;&otilde;es.</p> <p> &ldquo;&Eacute; um meio que consegue se adaptar a situa&ccedil;&otilde;es muito distintas. Quando surgiu a televis&atilde;o, o r&aacute;dio viveu seu maior momento de crise, mas conseguiu se superar em pouco tempo, renovando sua linguagem, como meio de comunica&ccedil;&atilde;o prestador de servi&ccedil;os e canal de entreternimento. Mais recentemente, o r&aacute;dio integrado &agrave; internet vem comprovar essa maleabilidade do meio&rdquo;, diz a professora.</p> <p> Para Cristiano Menezes, o r&aacute;dio digital &eacute; o futuro, em mat&eacute;ria de tecnologia, mas a linguagem caracter&iacute;stica do ve&iacute;culo se manter&aacute;, por mais que surjam diferentes plataformas. &ldquo;H&aacute; um novo ouvinte, que j&aacute; procura o novo r&aacute;dio, pela internet, os v&aacute;rios meios de comunica&ccedil;&atilde;o hoje se complementam, h&aacute; toda uma converg&ecirc;ncia de m&iacute;dias, a digitaliza&ccedil;&atilde;o j&aacute; se anuncia, &eacute; o futuro, mas o ve&iacute;culo ser&aacute; sempre r&aacute;dio&rdquo;.&nbsp;<br /> &nbsp;</p> <p> <em>Edi&ccedil;&atilde;o: Gra&ccedil;a Adjuto e Carolina Pimentel//A mat&eacute;ria foi atualizada para esclarecer que as experi&ecirc;ncias pioneiras de Roberto Landell ocorreram de 1893 a 1894, e n&atilde;o de 1892&nbsp;a 1893. Landell aperfei&ccedil;oou o tel&eacute;grafo sem fio. Ele n&atilde;o foi o inventor, como dito anteriormente</em></p> <p> Todo o conte&uacute;do deste site est&aacute; publicado sob a Licen&ccedil;a Creative Commons Atribui&ccedil;&atilde;o 3.0 Brasil. Para reproduzir as mat&eacute;rias &eacute; necess&aacute;rio apenas dar cr&eacute;dito &agrave; <strong>Ag&ecirc;ncia Brasil</strong></p> brasileiro descobertas eletromagnéticas Dia Mundial do Rádio equipamentos invenção invenções Landell de Moura Marconi Nacional ondas paternidade pioneiro polêmica rádio tecnologias Wed, 13 Feb 2013 21:42:56 +0000 carolinap 713827 at http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil Invenção que pode ser atribuída a um brasileiro, rádio se integra às novas tecnologias http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil/noticia/2013-02-13/invencao-que-pode-ser-atribuida-um-brasileiro-radio-se-integra-novas-tecnologias <p> Paulo Virgilio<br /> <em>Rep&oacute;rter da Ag&ecirc;ncia Brasil</em></p> <p> Rio de Janeiro - Atribu&iacute;da comumente ao italiano Guglielmo Marconi, a paternidade do r&aacute;dio - cujo dia mundial &eacute; comemorado hoje (13) - &eacute; motivo de pol&ecirc;mica. A exemplo do que ocorreu com outras grandes inven&ccedil;&otilde;es, ela foi fruto de uma sucess&atilde;o de descobertas e tentativas que, na &eacute;poca, nem sempre alcan&ccedil;aram a devida repercuss&atilde;o. Esse foi o caso do padre ga&uacute;cho Roberto Landell de Moura (1861-1928), um pioneiro que o Brasil hoje come&ccedil;a a reconhecer e que antecedeu em dois anos a experimenta&ccedil;&atilde;o de Marconi, datada de 1895. &nbsp;</p> <p> Alguns anos antes, em 1873, o f&iacute;sico brit&acirc;nico James Maxwell havia constatado a exist&ecirc;ncia de ondas eletromagn&eacute;ticas que se propagavam pelo espa&ccedil;o. Em 1887, o f&iacute;sico alem&atilde;o Heinrich Hertz, a partir da hip&oacute;tese de Maxwell, conseguiu fazer a transmiss&atilde;o e a recep&ccedil;&atilde;o de ondas eletromagn&eacute;ticas, ainda que com equipamentos colocados a poucos metros de dist&acirc;ncia um do outro.</p> <p> Landell de Moura fez suas experi&ecirc;ncias pioneiras de transmiss&atilde;o da voz humana em 1893 e 1894, em Campinas e em S&atilde;o Paulo, cobrindo uma dist&acirc;ncia de 8 quil&ocirc;metros. Ele aperfei&ccedil;oou o tel&eacute;grafo sem fio que, a exemplo do r&aacute;dio, por ele chamado de &ldquo;transmissor de ondas&rdquo;, conseguiu patentear, tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos.<br /> &nbsp;&nbsp;<br /> &ldquo;Ele era um sacerdote, uma pessoa recatada, e talvez por isso foi posto de escanteio, &agrave; margem desse processo, enquanto o Marconi, um europeu, um acad&ecirc;mico, conseguiu repercuss&atilde;o para o seu invento e ficou na hist&oacute;ria como o criador do r&aacute;dio&rdquo;, diz o radialista Cristiano Menezes, gerente-geral das r&aacute;dios <strong>EBC</strong> (<strong>Empresa Brasil de Comunica&ccedil;&atilde;o</strong>) no Rio de Janeiro. Juntamente com o veterano radioator e apresentador Gerdal dos Santos e o jornalista Luiz Augusto Gollo, Cristiano Menezes participa do programa especial sobre o Dia Mundial do R&aacute;dio que as emissoras da <strong>EBC</strong> veiculam nesta quarta-feira (13).</p> <p> Como meio de comunica&ccedil;&atilde;o, o r&aacute;dio chega ao Brasil em 1922, pelas m&atilde;os do cientista e educador Edgard Roquette Pinto. Ele faz a primeira transmiss&atilde;o no dia 7 de setembro daquele ano, durante a inaugura&ccedil;&atilde;o da exposi&ccedil;&atilde;o internacional comemorativa do Centen&aacute;rio da Independ&ecirc;ncia. Menos de um ano depois, em 20 de abril de 1923, entrava no ar a primeira emissora, a R&aacute;dio Sociedade do Rio de Janeiro, hoje R&aacute;dio MEC, uma das emissoras da <strong>EBC</strong>.</p> <p> Mais de um s&eacute;culo ap&oacute;s sua inven&ccedil;&atilde;o, o r&aacute;dio mostra capacidade de renova&ccedil;&atilde;o e adapta&ccedil;&atilde;o &agrave;s novas tecnologias, como destaca a professora Sonia Virginia Moreira, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), autora de livros sobre a hist&oacute;ria do ve&iacute;culo. Para ela, o r&aacute;dio &eacute; sempre aberto, democr&aacute;tico e sens&iacute;vel a todas as transforma&ccedil;&otilde;es.</p> <p> &ldquo;&Eacute; um meio que consegue se adaptar a situa&ccedil;&otilde;es muito distintas. Quando surgiu a televis&atilde;o, o r&aacute;dio viveu seu maior momento de crise, mas conseguiu se superar em pouco tempo, renovando a linguagem, como meio de comunica&ccedil;&atilde;o prestador de servi&ccedil;os e canal de entreternimento. Mais recentemente, o r&aacute;dio integrado &agrave; internet vem comprovar essa maleabilidade do meio&rdquo;, diz a professora.</p> <p> Para Cristiano Menezes, o r&aacute;dio digital &eacute; o futuro, em mat&eacute;ria de tecnologia, mas a linguagem caracter&iacute;stica do ve&iacute;culo se manter&aacute;, por mais que surjam diferentes plataformas. &ldquo;H&aacute; um novo ouvinte, que j&aacute; procura o novo r&aacute;dio, pela internet, os v&aacute;rios meios de comunica&ccedil;&atilde;o hoje se complementam, h&aacute; toda uma converg&ecirc;ncia de m&iacute;dias, a digitaliza&ccedil;&atilde;o j&aacute; se anuncia, &eacute; o futuro, mas o ve&iacute;culo ser&aacute; sempre r&aacute;dio&rdquo;. &nbsp;</p> <p> <em>Edi&ccedil;&atilde;o: Gra&ccedil;a Adjuto//A mat&eacute;ria foi atualizada &agrave;s 19h45 para esclarecer que as experi&ecirc;ncias pioneiras de Roberto Landell ocorreram de 1893 a 1894, e n&atilde;o de 1892 e 1893. Landell aperfei&ccedil;oou o tel&eacute;grafo sem fio. Ele n&atilde;o foi o inventor, como dito anteriormente</em><br /> <em> </em></p> <p> <em>Todo o conte&uacute;do deste site est&aacute; publicado sob a Licen&ccedil;a Creative Commons Atribui&ccedil;&atilde;o 3.0 Brasil. Para reproduzir as mat&eacute;rias &eacute; necess&aacute;rio apenas dar cr&eacute;dito &agrave; <strong>Ag&ecirc;ncia Brasil </strong></em></p> brasileiro descobertas Dia Mundial do Rádio eletromagnéticas equipamentos invenção invenções Landell de Moura Marconi Nacional ondas paternidade Pesquisa e Inovação pioneiro polêmica rádio tecnologias Wed, 13 Feb 2013 09:04:15 +0000 gracaadjuto 713765 at http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/agenciabrasil